teatro

A TunetRádio conversou com Rafael Nascimento, programador cultural responsável pela primeira edição do Festival Políticas à Parte, uma organização da Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos, que decorre até ao dia 1 de maio.

O Teatro-cine de Torres Vedras leva à cena na sexta-feira, pelas 20:00, a peça de teatro “3 Irmãs”, com bilhetes a cinco euros, divulgou o município.

A antiga escola EB1 José Gomes Ferreira, no centro do Porto, dará lugar ao ‘Campus Paulo Cunha e Silva’ que acolherá residências artísticas e técnicas, numa programação dirigida pelo Teatro Municipal do Porto.

O ambiente é de nervosismo no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, no dia de reabertura de portas após três meses de confinamento, para apresentar “Catarina e a beleza de matar fascistas”, como se fosse a primeira vez.

A companhia de teatro de Viana do Castelo assinala a Revolução de Abril com a estreia do monólogo “Noites de Caxias”, inspirado em relatos de tortura praticada por mulheres, agentes da PIDE, contra prisioneiras políticas durante o fascismo.

O Teatro Virgínia, em Torres Novas (Santarém), retoma sexta-feira a sua programação com a exibição, às 19:00, da peça “Fake”, de Inês Barahona e Miguel Fragata, abrindo a temporada de abril a julho.

A companhia Teatro Griot estreia, na terça-feira, em Lisboa o espetáculo “O riso dos necrófagos”, que pretende acrescentar novas vozes à narrativa sobre violência colonial e povos africanos colonizados, disse a encenadora, Zia Soares.

A reabertura dos teatros após o confinamento assinala-se na segunda-feira, marcada por algumas estreias e pelo regresso aos palcos de “Catarina e a beleza de matar fascistas” que, no Teatro Nacional D. Maria II, tem lotação esgotada para as sete representações.

A peça “A loucura é o mais credível oráculo”, um texto de Cláudia R. Sampaio com encenação de Marta Lapa, estreia-se no dia 29 no Clube Estefânia, em Lisboa, sendo a primeira estreia de 2021 da companhia Escola de Mulheres.

O Teatro do Vestido estreia online, na quinta-feira, o filme “Elas também estiveram lá”, uma releitura do espetáculo estreado em 2018.

A estrutura de criação Momento – Artistas Independentes, de Famalicão, estreia neste mês o primeiro espetáculo de uma trilogia sobre “Democracia, os Filhos dos anos 90 e a Tecnologia”, que vão passar por palcos de todo o país.

Um espetáculo sobre dedução e capacidade de raciocínio, em que se seduz o público, através de passagens, é como o encenador João Brites define a peça “A Porta”, que a companhia O Bando estreia no dia 19, em Palmela.


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]