pandemia

A 17.ª edição do festival CoolJazz, inicialmente prevista para julho de 2020, em Cascais, voltou a ser adiada mais um ano, para julho de 2022, “devido à situação mundial causada pela pandemia da covid-19”.

O mote “Ninguém fica para trás” inspira voluntários da União Audiovisual na região do Oeste, que há um ano garantem a entrega de cabazes alimentares aos técnicos da cultura que a pandemia de covid-19 deixou sem trabalho.

Ao fim de um ano praticamente sem trabalharem e com a perspetiva de que 2021 será semelhante, muitos ‘invisíveis’ do espetáculo apoiam-se na família, nos amigos ou tentam arranjar outros meios de subsistência, mas só temporariamente.

A artista portuguesa Ana Margarida Matos prepara-se para editar este ano um álbum de banda desenhada que lhe servirá de espelho biográfico, de diário ilustrado sobre a vida em tempos de pandemia.

As audiências dos prémios musicais Grammy despenharam 51% este ano, em relação a 2020, em linha com o registado com outras galas, como os Globos de Ouro e os Emmy.

A atriz britânica Helen Mirren elogia a “resiliência dos profissionais das artes e a capacidade de sobreviverem à pandemia com sagacidade e coragem”, na mensagem do Dia Mundial do Teatro, que é assinalado a 27 de março.

Uma conferência internacional sobre museus e responsabilidade social, o seu contributo para o trabalho em rede, e a promoção da mobilização dos cidadãos num futuro pós-pandemia, vai decorrer online a 23 e 24 de março, em Lisboa.

As livrarias especializadas em banda desenhada têm resistido a um ano de pandemia de covid-19 e ao segundo confinamento, graças à fidelização dos clientes e a encomendas online, embora assumam quebras significativas.

O guitarrista João Morais, que assina O Gajo, fez da música um mecanismo de defesa para sobreviver à paralisação da Cultura, em tempo de pandemia, e o resultado é o álbum “Subterrâneos”, que sai no dia 15.

A Companhia Quorum Ballet, que celebrou 15 anos de existência em 2020, criou uma “bolha” para continuar a criar e ensaiar novas coreografias que irá estrear em streaming para enfrentar o impacto negativo da pandemia na dança.

Os músicos portugueses tentam ver uma luz ao fundo do túnel, mas alguns já dão 2021 como mais um ano longe dos palcos, com poucos ou nenhuns apoios e praticamente sem trabalho na área desde março do ano passado.

O músico português NBC edita hoje um novo trabalho, “Epiderme”, criado em confinamento e no qual o cantor se fez guitarrista, percussionista, produtor, técnico de som e gravou, pela primeira vez, temas em inglês.


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]