Faixa Atual

Título

Artista

Background

Estados Unidos

O realizador e ator norte-americano Dennis Berry, que privou com alguns dos nomes da ‘Nouvelle Vague’, morreu no sábado em Paris aos 76 anos, revelou o agente à AFP.

A cantora norte-americana Mary Wilson, que fez parte do grupo The Supremes, morreu hoje aos 76 anos em Las Vegas, nos Estados Unidos, informou o seu representante Jay Schwartz.

A multinacional norte-americana Google atribuiu a queda dos seus serviços por 45 minutos a um problema de quota de armazenamento interno e garantiu uma “monitorização exaustiva” para garantir que o problema não volte a acontecer.

O músico norte-americano Bill Withers, que escreveu canções soul como “Ain’t no Sunshine” e “Lean on me”, morreu na segunda-feira em Los Angeles (Califórnia), aos 81 anos, de complicações cardíacas.

O cantor norte-americano John Legend considera que o presidente Donald Trump está a fazer “um trabalho terrível” no combate à propagação da pandemia de covid-19, mostrando-se mais preocupado “com o mercado bolsista do que com a saúde” da população.

O filme “Avódezanove e o segredo do soviético”, do moçambicano João Ribeiro, que adapta uma história do escritor angolano Ondjaki, tem estreia mundial no domingo, no Festival de Cinema Pan-Africano, nos Estados Unidos.

As artistas Jennifer Lopez (J-Lo) e Shakira mostraram o “orgulho latino” no intervalo do principal evento desportivo dos Estados Unidos, que também contou com J Balvin e Bad Bunny.

A artista portuguesa Joana Vasconcelos inaugura em fevereiro, no MassArt Art Museum, em Boston, nos Estados Unidos, uma nova instalação “monumental” da série Valquírias.

O artista português Alexandre Farto, conhecido como Vhils, vai inaugurar, no dia 21 de fevereiro, a sua primeira grande exposição individual numa instituição norte-americana, o Cincinnati Contemporary Arts Centre.

Os filmes “Variações” e “A Herdade” vão ser exibidos este mês em Washington (EUA), no âmbito de uma programação sobre cinema europeu organizada pelo Instituto do Cinema dos Estados Unidos.

A Justiça não não tem métodos para interpretar estes sinais de comunicação que os smartphones popularizaram e que permitem várias leituras.