dança

A segunda edição portuguesa do festival transfronteiriço Regards Croisés regressa esta sexta-feira a Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, e promete quatro espetáculos de dança contemporânea, dois ensaios abertos e três ‘workshops’ até domingo, dia 14.

A dança contemporânea vai estar em destaque em setembro no Teatro das Figuras, em Faro, com um conjunto de espetáculos que se inicia no domingo com “Teia”, da autoria de Inês Mestrinho, anunciou a organização.

O bailarino e coreógrafo Carlos Prado é o novo diretor artístico da Companhia Nacional de Bailado (CNB), assumindo funções em setembro para um mandato de três anos, anunciou hoje o Ministério da Cultura.

Duas dezenas de projetos na área da dança, apoiados pela Fundação Calouste Gulbenkian, vão apresentar-se entre 24 de junho e 04 de julho, em Lisboa, através de artistas como Mariana Tengner Barros, Miguel Bonneville e Sónia Baptista.

A Rede – Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea considerou hoje “urgente” que as medidas extraordinárias de apoio ao setor, anunciadas pela ministra da Cultura, se concretizem, cheguem às pessoas, às entidades e se mantenham até ao retomar da atividade.

A Companhia Quorum Ballet, que celebrou 15 anos de existência em 2020, criou uma “bolha” para continuar a criar e ensaiar novas coreografias que irá estrear em streaming para enfrentar o impacto negativo da pandemia na dança.

A coreógrafa Clara Andermatt, cuja companhia de dança celebra 30 anos, está a criar um grande espetáculo de homenagem ao músico cabo-verdiano Orlando Pantera, uma “figura marcante” pela forma como trabalhou e divulgou as raízes culturais do seu país.

A pandemia voltou a confinar a dança, mas os profissionais não param. Há coreógrafos que estão a criar aulas online para crianças e jovens, bailarinos profissionais em teletrabalho, apresentações virtuais de espetáculos, à espera da “reabertura da vida”.

A Companhia de Dança de Almada conclui, em fevereiro, o projeto europeu “CLASH! – Quando a dança clássica e a contemporânea colidem e novas formas emergem”, com a apresentação online de “Noir”, nos dias 6 e 7.

O Festival Andanças, realizado durante anos em Castelo de Vide (Portalegre), onde em 2016 um incêndio destruiu centenas de viaturas, vai passar a decorrer em Reguengos de Monsaraz (Évora), numa aldeia perto da albufeira do Alqueva.

O espetáculo de dança “The show must go on”, de Jérôme Bel, vai regressar a Portugal vinte anos após a estreia em versão remontada e com elenco nacional, a 21 de janeiro, com apresentações em Lisboa, Viseu e Porto.

O Conservatório de Música de Santarém iniciou este ano letivo um programa educacional de dança, proporcionando uma possibilidade de formação aos jovens que querem vir a ter uma profissão nesta área, disseram os responsáveis do projeto.


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]