Faixa Atual

Título

Artista


Culturgest

A primeira exposição do artista visual Samson Kambalu em Portugal inaugura-se na Culturgest, em Lisboa, no dia 01 de outubro, e apresenta a obra deste artista conceptual, que trabalha a africanidade, recorrendo ao “humor e à subtil reflexão crítica”.

A companhia Primeiros Sintomas estreia esta semana em Lisboa uma nova adaptação de “O Fantasma da ópera” a partir do romance de Gaston Leroux, um autor praticamente desconhecido em Portugal.

O dramaturgo britânico Alexander Zeldin, que entende o teatro como “um milagre” que permite “esculpir” sobre a vida, estreia-se em Portugal com a peça “Love”, que fica em cena na Culturgest, em Lisboa, na quinta e na sexta-feira.

A Culturgest lançou hoje uma revista sonora para ouvir música, vozes e histórias, a partir da sua programação até ao final do ano, que se intitula O Projeto Invisível e que pode ser ouvida em diversas plataformas.

Mais de 30 espetáculos de música, teatro e dança, alguns em estreia, cinema, conferências e perto de uma dezena de novas exposições constroem a próxima temporada da Culturgest, hoje anunciada, assumindo um programa até ao verão de 2022.

Uma exposição com obras de mais de 30 artistas, como Ana Hatherly, Helena Almeida, Cruzeiro Seixas, Dayana Lucas, Jorge Vieira ou Pedro Calapez, assinala, este sábado, a abertura do Centro de Arqueologia e Artes de Beja.

A permeabilidade entre verdade e mentira domina a peça “A grande magia”, de Eduardo De Filippo, em cena a partir de quinta-feira, na Culturgest, em Lisboa, que se propõe refletir sobre realidade, quem manipula e quem é manipulado.

A Culturgest, em Lisboa, inicia este mês o programa “Inside Out” que leva para novos espaços, e para a rua, as artes visuais, o cinema, a música e o teatro, marcando assim o final de mais uma temporada.

A cantora e violoncelista Joana Guerra apresenta, no próximo dia 8 de junho, o seu quarto álbum, “Chão Vermelho”, na Culturgest, em Lisboa, palco que vai partilhar com Maria do Mar (violino) e Carlos Godinho (percussão).

A Culturgest vai passar, a partir de sexta-feira, a dispor de uma biblioteca multidisciplinar no seu ‘site’, com toda a nova programação ‘online’ e conteúdos de memória dos últimos 27 anos, uma necessidade que surgiu no contexto da pandemia.

A peça “Virgens suicidas”, de John Romão, a partir do texto homónimo de Jeffrey Eugenides e de “Mine-Haha”, de Frank Wedekind, marca o regresso online da programação da Culturgest, e fica disponível até quinta-feira, informou a instituição.

A ecologia, a emergência climática e as memórias coloniais são alguns dos temas que vão estar em destaque na programação da Culturgest para o primeiro trimestre de 2021.