centenário

As comemorações do centenário do escritor José Saramago, que se assinala a 16 de novembro de 2022, já têm logótipo e vão centrar-se na vida do autor, leituras, publicações da sua obra e encontros académicos.

A criação do Prémio Literário Natália Correia, que oferece 7.500 euros e a publicação da obra vencedora, marca o início das comemorações do centenário da poeta, que serão desenvolvidas pela Câmara de Ponta Delgada até 2023.

As homenagens pelo centenário do nascimento do artista e escritor Artur Cruzeiro Seixas, que morreu em novembro, aos 99 anos, vão estender-se até 2022, com exposições em Paris, Nova Iorque, Lisboa e Londres.

O Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, em Chaves, recebe, a partir de sexta-feira e durante um ano, a exposição “Nadir Afonso, entre o local e o global”, como forma de celebrar o centenário do nascimento do pintor.

Uma exposição bibliográfica sobre a obra de Bernardo Santareno e a exibição de excertos de peças com textos do autor constam das iniciativas com que a Escola de Mulheres comemora o 100.º aniversário de nascimento do dramaturgo.

No centenário do nascimento do jornalista, escritor e crítico Mário Castrim (1920-2002), a Editorial Caminho reedita “Do Livro dos Salmos”, um livro de poesia, que oferece uma visão mais intima do escritor e a sua ligação ao divino.

O Ministério da Cultura e a Fundação José Saramago assinaram um acordo para prepararem conjuntamente um programa comemorativo do centenário do escritor, para 2022, que celebre e homenageie a sua vida e obra, e simultaneamente promova a leitura.

A Academia das Ciências de Lisboa (ACL) assinala, no próximo dia 13 de outubro, em “sessão solene”, o centenário de Amália Rodrigues (1920-1999).

A Câmara de Alcanena, no distrito de Santarém, assinala o centenário do nascimento de Bernardo Santareno com a divulgação, na sua página no Facebook, de episódios sobre a “vida e obra do maior dramaturgo português do século XX”.

O centenário de Amália Rodrigues vai ser assinalado, no Brejão, em Odemira (Beja), a 23 de julho, com um concerto comemorativo que vai contar com a participação de fadistas como Ana Moura e Jorge Fernando.

O programa de celebração do centenário de Amália Rodrigues, que se assinala este ano, prossegue em 2021 com exposições, conferências e um colóquio.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, anunciou que a Cinemateca Portuguesa já digitalizou um conjunto de 31 bobines com imagens inéditas de Amália Rodrigues, gravadas na década de 1960.
Graça Fonseca falava, na Câmara de Lisboa, na apresentação do programa das comemorações oficiais do centenário do nascimento de Amália Rodrigues (1920-1999).


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]