Faixa Atual

Título

Artista

Background

Villa Sessions leva blues ao Teatro Municipal de Vila do Conde

Escrito por em 14/01/2023

O Villa Sessions – Vila do Conde Blues Festival regressa entre 23 e 26 de fevereiro e em 2023 acontecerá pela primeira vez no Teatro Municipal vilacondense, revelou a organização.

Na quinta-feira, 23, o espanhol Danny Del Toro abre o festival com a apresentação na sala 2 do Teatro Municipal de um “elaborado” Laboratorio de la Armónica, a “reputada” masterclass de harmónica, instrumento tradicional do blues, e do qual o músico se tornou uma “referência”. A partir das 21:30, a masterclass pretende passar informações e conhecimento que apoiem o desenvolvimento da técnica da harmónica a todos os interessados, amantes e entendidos do instrumento musical.

De seguida, o também espanhol Fede Aguado, “lenda” e líder da banda Fede Aguado y Fierablues, e um dos guitarrista “mais conceituados” em Espanha, junta-se a Danny Del Toro para um concerto acústico de blues, transformado em conversa entre harmónica e guitarra, com a “mestria e o perfume” que só Fede Aguado & Danny Del Toro conseguem apresentar. “A essência e a história do blues é contada através de uma masterclass e de um concerto que se complementam, por dois músicos que têm procurado o estudo e o desenvolvimento de formatos para melhor transmitir conhecimentos às novas gerações e aos fãs mais dedicados que têm angariado ao longo de décadas”, pode ler-se na nota de imprensa.

Na sexta-feira, 24, às 21:30, está marcada a atuação dos alemães Muddy What?. Os três jovens músicos dão ao estilo tradicional um toque “moderno e refrescante, regressando depois aos sons flutuantes dos delta blues, com uma dinâmica envolventes multifacetada. Os vocais murmurados de Fabian Spang e a máquina rítmica Michi Lang abrem espaço para uma estrela de cabelo selvagem e dedos incrivelmente rápidos: Ina Spang é uma das virtuosas da guitarra blues, com solos surpreendentes. Com a sua guitarra e mandolin, conta histórias de dimensões e criaturas imaginárias”, descreveram os organizadores do festival.

Gráinne Duffy, a “estrela” irlandesa, sobe ao palco a partir das 22:30. A liderar um quarteto de “excelentes” músicos, Gráinne representa o que “de melhor a Irlanda tem para apresentar”. Duplamente nomeada como “Best Artist e Best Female Vocalist”, com diversas digressões de sucesso, colaborações com alguns dos melhores artistas de blues, a jovem “talentosa” vocalista e guitarrista está a ganhar “o seu lugar na cena do blues e o reconhecimento e críticas dos seus quatro álbuns espelham que estamos perante um músico empenhado, com uma mensagem e espetáculo poderosos. Um dos pontos altos desta edição”, assegura a associação Dream Sessions, responsável pela organização do festival.

Os italianos Hoodoo Doctores & The Kazoompet Machine constituem um dos destaques da noite de sábado, 25 de fevereiro, num concerto com início marcado para as 21:30. Seguindo os passos das bandas de bar dos anos 1930, o quarteto pratica um “vibrante ambiente ragtime, skiffle e boogie-woogie, sem perder a dose certa de swing. Em suma, Hoodoo Doctors sintetizam e revivem o caráter sincrético do blues, oferecendo à sua maneira a mais alegre resolução para todas as tristezas da vida. Portanto, tudo o que resta é deixar ir, abandonar-se gentilmente à deriva para uma catarse libertadora. O ritmo que nos faz sentir como um peixe-gato no Mississippi”, pode ler-se no comunicado de imprensa.

O septeto Baba Sissoko & Mediterranean Blues fecha a noite de sábado, numa atuação com hora prevista para as 22:40. Baba Sissoko, oriundo do Mali, toca ngoni, kamalengoni, guitarra, balaphon, calebasse, sildrum e canta de forma “poderosa e amarga”, sendo uma das vozes mais importantes da antiga dinastia de griots do Mali. Os Mediterranean Blues trazem uma batida “otimista” como nas notas afro-americanas, (re)começadas da Jamaica, assistida por harmônicos vocais, “derretendo generosos temperos de blues sobre o todo, com um fluxo encantador. Um espetáculo único com fortes nuances de blues, em que a tradição se confronta e se funde com os ritmos da música afro-americana, com picos de afro beat, funk e psychedelia: há clímax imponentes, grooves, o saboroso funk, o esplendor enfeitiçante da pentatônica que com cinco notas pinta paisagens impressionantes da alma”, avança a associação.

Domingo, 26, o calendário marca o primeiro concerto de Dom Martin em Portugal, uma estreia com início às 18:00. Dom Martin é um artista multipremiado nascido em Belfast, inspirado, mas não constrangido pelos blues. Em 2019 surge com “grande estrondo” na cena musical internacional, com um estilo único de guitarra e voz, cativando audiências e fãs em todo o lado. Principalmente conhecido como um artista acústico solo, Dom tem a “capacidade de cativar a atenção do público com técnicas hipnotizantes de dedilhado e vocal forte”, muito ao estilo da “lenda” irlandesa Rory Gallagher, do qual normalmente inclui uma ou duas músicas no alinhamento. Nos últimos três anos tem sido nomeado e vencedor nas seguintes categorias dos UK Blues Awards: “Acoustic Blues Act of The Year, Blues Instrumentalist of The Year e Blues Instrumentalist of The Year and Emerging Artist of The Year – e ainda Best Solo/Acoustic Act – European Blues Awards 2019 e UK Representative International Blues Challenge Memphis 2022 – Semi Finalist”, tendo sido indicado ao “UK Blues Hall of Fame” pelo seu terceiro prémio consecutivo de “Acoustic Blues Act of The Year”. No final do concerto será atribuido o prémio ao vencedor do “First Villa Sessions Guitar Riff Contest”, com a participação de Dom Martin.

Organizado pela associação Dream Sessions, o Villa Sessions – Vila do Conde Blues Festival regressa em fevereiro e volta a contar com o apoio da autarquia vilacondense.

Alinhamento da 7.ª edição do Villa Sessions – Vila do Conde Blues Festival

Quinta-feira – 23.02.2023 – 10 euros
Sala 2 – 21:30 – Masterclass de Harmónica por Danny Del Toro
Sala 2 – 22:40 – Fede Aguado & Danny Del Toro

Sexta-feira – 24.02.2023 – 12 euros
Exterior – 15:30 – Blues at School (Escola de Artes da Vila)
Sala 1 – 21:30 – Muddy What?
Sala 1 – 22:30 – Gráinne Duffy

Sábado – 25.02.2023 – 15 euros
Galeria – 15:00 – Workshops | Exposições
Exterior – 15:30 – Little Hands Blues Band
Sala 1 – 21:30 – Hoodoo Doctor & The Kazoompet Machine
Sala 1 – 22:40 – Baba Sissoko & Mediterranean Blues

Domingo – 26.02.2023 – 10 euros
Diversos locais – 11:00 – Marching Band – Fanfarra Bombeiros Voluntários de Vila do Conde
Sala 1 – 18:00 – The First Villa Sessions Guitar Riff Contest
Sala 1 – 19:00 – Dom Martin

Os bilhetes podem ser adquiridos no Teatro Municipal de Vila do Conde, na BOL Bilheteira Online e na rede de lojas aderentes. Além dos bilhetes diários, há passes que podem ser adquiridos dos 38 aos 50 euros (pack fan Villa Sessions – concertos + gifts).


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta