Faixa Atual

Título

Artista

Background

“Os Fabelmans” e “House of the Dragon” vencem Globos de Ouro

Escrito por em 11/01/2023

A 80.ª edição dos Globos de Ouro, que decorreu esta madrugada em Beverly Hills, deu os prémios principais a “Os Fabelmans” de Steven Spielberg, “Os Espíritos de Inisherin” e à série da HBO “The House of The Dragon”.

Depois de escândalos éticos e polémicas pela falta de diversidade, esta edição marcou uma nova era para a cerimónia, com uma lista de vencedores mais diversa que antes e um compromisso com o progresso no futuro.

Steven Spielberg ganhou o Globo de Ouro de Melhor Realizador pelo título semiautobiográfico “Os Fabelmans” e o filme levou o Globo de Melhor Filme Dramático. “Tenho andado a esconder-me desta história desde os 17 anos de idade”, disse Spielberg, no discurso de vitória. “Contei esta história em partes e pedaços ao longa da minha carreira”, continuou. “E.T. e Encontros Imediatos tiveram muito a ver com esta história”. 

Spielberg disse que toda a gente o vê como um sucesso mas que ninguém sabe quem somos realmente até “termos a coragem contar a nossa história”. Na categoria de Melhor Filme de Comédia ou Musical, a vitória foi para “Os Espíritos de Inisherin”, que também levou o Globo de Melhor Argumento e deu a Colin Farrell a estatueta de Melhor Ator em Filme de Comédia ou Musical. O ator irlandês mostrou-se “horrorizado no bom sentido” com a receção que o filme teve. 

Ainda no cinema, Austin Butler foi o Melhor Ator em Filme Dramático pelo seu papel em “Elvis” e Cate Blanchett foi a Melhor Atriz em Filme Dramático por “Tár”. Já o filme “Tudo Em Todo o Lado Ao Mesmo Tempo” garantiu a Ke Huy Quan o prémio de Melhor Ator Secundário e a Michelle Yeoh a estatueta de Melhor Atriz Em Filme de Comédia ou Musical. A atriz, natural da Malásia, lembrou o caminho longo que teve de fazer para chegar a esta distinção, depois de 40 anos na indústria. 

“Quando vim para Hollywood foi um sonho tornado realidade até chegar aqui”, afirmou, lembrando que lhe disseram que ela era “uma minoria” e não iria ter sucesso. “Fiz 60 [anos] no ano passado e penso que todas as mulheres percebem que à medida que os anos aumentam as oportunidades diminuem”, continuou, elogiando a coragem dos produtores do filme de “escreverem sobre uma mulher emigrante a envelhecer”. 

Também Angela Bassett, de 64 anos, saiu vitoriosa como Melhor Atriz Secundária pelo papel em “Black Panther: Wakanda Para Sempre” e falou de “coragem, paciência e um verdadeiro senso próprio” na perseguição dos sonhos. Foi a primeira vez que um filme da Marvel venceu numa categoria de representação nos Globos de Ouro, o que a levou a dizer que “foi feita história” com este galardão. 

O Melhor Filme de Animação foi “Pinóquio de Guillermo Del Toro”, com o realizador a dizer que este foi “um grande ano para o cinema” e que “a animação é cinema” e não um género para crianças. A Melhor Banda Sonora caiu para o lado do filme “Babylon” e do compositor Justin Hurwitz, sendo que a Melhor Canção Original foi para “Naatu Naatu” do filme indiano “RRR: Revolta, Rebelião, Revolução”. A canção em língua telugu bateu celebridades como Rihanna, Lady Gaga e Taylor Swift. 

Na televisão, “House of the Dragon” foi a Melhor Série Dramática. O produtor Miguel Sapochnik agradeceu à HBO por lhes ter confiado “a galinha dos ovos de ouro” com esta série sucessora de “A Guerra dos Tronos”. 

A melhor minissérie foi “The White Lotus”, que também deu o Globo de Melhor Atriz Secundária em minissérie a Jennifer Coolidge, e a melhor série de comédia foi “Abbott Elementary”, com Quinta Brunson a levar Melhor Atriz em comédia e Tyler James Williams a ser reconhecido como Melhor Ator Secundário em comédia por este trabalho. 

Julia Garner venceu com o papel em “Ozark”, Paul Walter Hauser triunfou com “Black Bird”, Jeremy Allen White ganhou com “The Bear” e Evan Peters foi distinguido por “Monstro: A história de Jeffrey Dahmer”.

Com Ryan Murphy a ser reconhecido com o prémio de carreira Carol Burnett, a cerimónia voltou a ser transmitida ao vivo na NBC depois de um hiato provocado por escândalos de ética e diversidade que abalaram a associação organizadora, Hollywood Foreign Press Association (HFPA). 

A controvérsia foi referida por vários vencedores e pelo apresentador, Jerrod Carmichael, cujo monólogo de abertura endereçou os problemas da associação de forma crua. “Estou aqui porque sou negro”, afirmou o apresentador. “Esta cerimónia não foi transmitida no ano passado porque, não vou dizer que a HFPA é racista, mas não tinham um único membro negro até à morte de George Floyd”. 

Apesar da polémica, a cerimónia reuniu os maiores pesos pesados da indústria e foram poucos os vencedores que não subiram a palco para receberem as suas estatuetas – aconteceu com: Cate Blanchett, Melhor Atriz por “Tár”; Kevin Costner, Melhor Ator em Série Dramática por “Yellowstone”; Zendaya, Melhor Atriz em Série Dramática por “Euphoria” e Amanda Seyfried, Melhor Atriz em minissérie por “The Dropout: A História de Uma Fraude”.

Zelensky diz que “não haverá III Guerra Mundial” em discurso nos Globos de Ouro

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse esta madrugada que “não haverá III Guerra Mundial”, num discurso remoto durante a cerimónia dos Globos de Ouro. “Isto não é uma trilogia”, afirmou Zelensky, depois de dizer que não haverá sucessora da I e II Guerras Mundiais, “que mataram milhões de pessoas”.

Ele próprio um antigo ator, Zelensky lembrou que os Globos de Ouro foram criados em plena II Guerra Mundial, com a primeira edição a premiar os melhores desempenhos em 1944, numa altura em que a guerra ainda sacudia o mundo.

“A II Guerra Mundial ainda não tinha acabado, mas a maré tinha virado e todos sabiam quem ia vencer”, disse. “Agora estamos em 2023, a guerra na Ucrânia não acabou mas a maré está a virar e já é claro quem vai vencer”.

Zelensky sublinhou o apoio do mundo à causa ucraniana e pediu a sua continuação. “Ainda há batalhas e lágrimas à nossa frente, mas agora posso definitivamente dizer-vos quem foram os melhores no último ano, foram vocês”, disse. “Os povos livres do mundo livre. Aqueles que se uniram em torno do apoio a um povo ucraniano livre na nossa luta comum pela liberdade”.

O chefe de Estado falou ainda da necessidade de continuar a luta “pelo direito das novas gerações de conhecerem a guerra apenas através dos filmes”. Mais de dez meses depois do início do conflito, Zelensky continua a manter os holofotes mediáticos sobre a Ucrânia, tendo ido ao congresso norte-americano em dezembro e recebido o compromisso da Casa Branca, na última semana, de um novo pacote de 3,75 mil milhões de dólares (3,49 milhões de euros) em ajuda militar para o país e aliados adjacentes da NATO.

“A Ucrânia vai parar a agressão russa no nosso território”, garantiu o presidente, terminando com a saudação tradicional que o mundo agora reconhece: Slava Ukraini (Glória à Ucrânia). A intervenção foi apresentada pelo ator Sean Penn, que, antes de dar o palco a Zelensky, elogiou também a coragem da juventude iraniana que está a levantar-se em protesto e “o movimento sempre perseverante” das mulheres afegãs.

“Somos relembrados, em termos não incertos, que a liberdade de sonhar não é simplesmente um luxo humano mas sim uma necessidade humana, pela qual se deve lutar e fazer sacrifícios”, disse Penn.

“Se a liberdade de sonhar fosse uma lança, apresento-vos um ser humano que esta noite representa a ponta mais afiada dessa lança”, disse Penn sobre o presidente ucraniano. Em 2022, o ator entregou o seu Óscar a Zelensky com uma missão: “quando vocês vencerem, tragam-no de volta a Malibu”. 

PALMARÉS 80.º GLOBOS DE OURO

Melhor Realização
Steven Spielberg, “Os Fabelmans”

Melhor Argumento
Martin McDonagh, “Os Espíritos de Inisherin”

Melhor Filme Dramático
“Os Fabelmans”

Melhor Atriz em Filme Dramático
Cate Blanchett, “Tár”

Melhor Ator em Filme Dramático
Austin Butler, “Elvis”

Melhor Ator Secundário em Filme 
Ke Huy Quan, “Tudo em Todo o Lado Ao Mesmo Tempo”

Melhor Atriz Secundária em Filme 
Angela Bassett, “Black Panther: Wakanda Para Sempre”

Melhor Filme Musical ou Comédia
“Os Espíritos de Inisherin”

Melhor Ator em Filme musical ou comédia
Colin Farrell, “Os Espíritos de Inisherin”

Melhor Atriz em Filme musical ou comédia
Michelle Yeoh, “Tudo em Todo o Lado Ao Mesmo Tempo”

Melhor Filme de Animação
“Pinóquio de Guillermo Del Toro” (Netflix)

Melhor Filme de Língua Estrangeira 
“Argentina, 1985” (Argentina)

Melhor Canção 
“Naatu Naatu”, Kala Bhairava, M.M. Keeravani, Kala Bhairava, Rahul Sipligunj, “RRR: Revolta, Rebelião, Revolução”

Melhor Banda Sonora
Justin Hurwitz, “Babylon”

Melhor Série Dramática
“House of the Dragon” (HBO)

Melhor Atriz em série dramática
Zendaya, “Euphoria” (HBO)

Melhor Ator em série dramática
Kevin Costner, “Yellowstone” (Paramount)

Melhor Atriz Secundária em televisão
Julia Garner, “Ozark” (Netflix)

Melhor Ator Secundário em televisão
Tyler James Williams, “Abbott Elementary” (ABC)

Melhor Minissérie ou Filme para Televisão
“The White Lotus” (HBO)

Melhor Atriz em minissérie ou filme para televisão
Amanda Seyfried, “The Dropout: A História de uma Fraude” (Hulu)

Melhor Ator em minissérie ou filme para televisão
Evan Peters, “Monstro: A história de Jeffrey Dahmer” (Netflix)

Melhor Atriz Secundária em minissérie ou filme para televisão
Jennifer Coolidge, “The White Lotus” (HBO)

Melhor Ator Secundário em minissérie ou filme para televisão
Paul Walter Hauser, “Black Bird” (Apple TV+)

Melhor Série Musical ou Comédia
“Abbott Elementary” (ABC)

Melhor Atriz em série musical ou comédia
Quinta Brunson, “Abbott Elementary” (ABC)

Melhor Ator em série musical ou comédia
Jeremy Allen White, “The Bear” (FX)

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta