Faixa Atual

Título

Artista

Background

Regina Pessoa distinguida pela Academia Portuguesa de Cinema

Escrito por em 24/10/2022

A realizadora portuguesa Regina Pessoa, uma das mais premiadas do cinema de animação, foi distinguida com o Prémio Bárbara Virgínia, da Academia Portuguesa de Cinema e destinado a portuguesas ligadas ao cinema.

Regina Pessoa receberá o prémio a 4 de novembro, na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, numa sessão em que serão exibidas quatro curtas-metragens de animação, que a colocam entre os nomes de referência do cinema de animação.

São elas “A noite” (1999), “História Trágica com Final Feliz” (2005), “Kali, o Pequeno Vampiro” (2012) – filmes da denominada “trilogia da infância” – e “Tio Tomás, a Contabilidade dos Dias” (2019), numa referência a um tio da realizadora e a memórias de infância.

Nascida em Coimbra, em 1969, Regina Pessoa é uma das mais premiadas realizadoras de sempre do cinema de animação português. “História Trágica Com Final Feliz” e “Kali, o pequeno vampiro” somam mais de 80 distinções.

Três dos seus filmes fazem parte do Plano Nacional de Cinema e são objeto de estudo por crianças e jovens em escolas. Juntamente com Abi Feijó, com quem começou a trabalhar na produtora Filmógrafo, Regina Pessoa é ainda uma das dinamizadoras da Casa-Museu de Vilar, no concelho de Lousada, dedicado ao cinema de animação e às imagens em movimento.

Em 2018, Regina Pessoa foi convidada para ser membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos, que atribui anualmente os prémios Óscares. “Com uma visão artística pessoal distinta expressa não apenas nos seus filmes, mas também através da ilustração, pintura e desenho, encontra-se atualmente a desenvolver o seu próximo filme, ‘As Caras da Mãe'”, revela a Academia Portuguesa de Cinema.

O Prémio Bárbara Virgínia foi criado em 2015 pela Academia Portuguesa de Cinema “para homenagear mulheres que tenham contribuído de forma notável para o cinema português” e para não deixar cair no esquecimento aquela que é considerada a primeira realizadora portuguesa de cinema. Bárbara Virgínia morreu em 2015, com 92 anos, no Brasil, praticamente desconhecida dos portugueses.

O prémio foi já atribuído às atrizes Leonor Silveira e Laura Soveral, à colorista Teresa Ferreira, à atriz e realizadora Júlia Buisel, à realizadora Solveig Nordlund e à figurinista Manuela Gonzaga. A atribuição do Prémio Bárbara Virgínia a Regina Pessoa acontece num ano em que a Academia Portuguesa de Cinema deu especial destaque ao cinema de animação, nomeadamente com a entrega do Prémio Sophia de carreira ao produtor e realizador Abi Feijó.

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta