Faixa Atual

Título

Artista

Background

Adriana Proganó vence EDP Novos Artistas 2022

Escrito por em 13/10/2022

A artista visual Adriana Proganó foi hoje distinguida, por unanimidade, com o Prémio EDP Novos Artistas 2022, no valor de 20 mil euros, atribuído pela Fundação EDP para promover a arte contemporânea emergente, anunciou a organização.

Nesta 14.ª edição do galardão, um júri internacional decidiu ainda, também por unanimidade, atribuir uma menção honrosa ao artista Bruno Zhu, indicou a Fundação EDP, em comunicado.

Ao prémio concorriam mais quatro finalistas: Andreia Santana, Maria Trabulo, René Tavares e Rita Ferreira, que têm os seus trabalhos também expostos no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) até 06 de fevereiro de 2023.

O júri foi presidido por Vera Pinto Pereira, presidente da Fundação EDP, e composto pela curadora do Museu de Arte de São Paulo Amanda Carneiro, pela artista Luisa Cunha, pelo crítico de arte e curador da Casa Museu Eva Klabin, no Rio de Janeiro, Marcio Doctors, pela artista, curadora e investigadora Ana Rito, e por Miguel Coutinho, administrador executivo e diretor-geral da Fundação EDP.

O trabalho da artista Adriana Proganó (nascida em 1992, em Lucerna, na Suíça, a viver em Lisboa), intitulado “Little Brats” – uma obra em pintura expandida tridimensional que se transforma em escultura – destacou-se, segundo a ata do júri, “pela ousadia, ao produzir algo inédito dentro da sua própria trajetória, em diálogo com os temas e as linguagens a que se tem dedicado”.

O júri salientou ainda “a singularidade desta proposta, que, aliando ironia e humor à critica institucional, apresenta um olhar renovado da prática da pintura e do seu prolongamento no campo do objeto”.

Para conceder a menção honrosa ao trabalho de Bruno Zhu (nascido em 1991, no Porto), intitulada “Vida” – uma instalação com fotografia, texto e escultura – pesou, na decisão, “a particularidade da linguagem, que incorpora outros campos da visualidade, como o ‘design’ e a moda na sua prática artística, recorrendo a elementos pessoais, despersonalizando-os”.

Na ata, é ainda salientada a “qualidade geral das propostas apresentadas pelos seis finalistas, bem como, o trabalho desenvolvido pela equipa curatorial na produção da exposição” das obras, e referido que “a escolha deste grupo de artistas expressa bem o espírito do momento atual da arte e das preocupações de uma geração”.

A curadoria da exposição com o nome do prémio é de Luís Silva, Luísa Santos e Sara Antónia Matos, que também foram júri de nomeação, tendo selecionado os seis artistas entre mais de 700 candidaturas recebidas nesta 14.ª edição.

Nas edições anteriores, o Prémio Novos Artistas Fundação EDP distinguiu Joana Vasconcelos, Leonor Antunes, Vasco Araújo, Carlos Bunga, João Maria Gusmão + Pedro Paiva, João Leonardo, André Romão, Gabriel Abrantes, Priscila Fernandes, Ana Santos, Mariana Silva, Claire de Santa Coloma e Diana Policarpo.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta