Faixa Atual

Título

Artista

Background

Globos de Ouro: Joana Marques “rouba” melhores momentos

Escrito por em 03/10/2022

Se é verdade que a humorista teve muito tempo de antena, também é verdade que o soube usar como poucos. Nos 30 anos da SIC, Joana Marques ajudou a resgatar a cerimónia da ‘banalidade’ habitual.

Infelizmente, o vestido verde e o penteado de Clara de Sousa roubaram a atenção, pelos motivos errados, da apresentação imaculada que a jornalista proporcionou aos espectadores no Coliseu e da SIC, que celebra 30 anos por estes dias. Ao longo de quatro horas, a apresentadora deixou o humor para a acutilante e (quase) destrutiva Joana Marques em três momentos – no modo ‘stand up Altos e Baixos 30 anos da SIC’, indiscreta ao revelar a saída de Júlia Pinheiro para a CMTV; ao ‘citar’ Cristina Ferreira no momento de receber o prémio de personalidade do ano (digital); ao navegar ‘corrosiva e deliciosamente’ pela audiência, ao melhor estilo de Ricky Gervais. Ela sim, uma pequena maravilha, digna de referência de “hashtags” nas redes sociais.

Num tom mais sério, Dino d’Santiago, vencedor do Globo de Ouro de melhor intérprete na área da música, dedicou o prémio “aos 1480 alunos da Escola EB 2,3 Dom Dinis, de 40 nacionalidades diferentes, em Quarteira”. “Vocês não são o futuro, são sim o presente onde urge a mudança. Farei tudo o que estiver ao meu alcance para que até 2030 o projecto SIC (Sucesso, Inclusão e Cidadania) seja regenerador e intemporal”, afirmou o músico lusocaboverdiano no que foi o discurso mais pertinente da noite.

Outros momentos dignos de referência foram os merecidos Globos entregues às atrizes Anabela Moreira, Gabriela Barros e Rita Rocha Silva, e aos atores Carloto Cotta, Miguel Nunes e Adriano Luz. Se Anabela, Rita, Carloto e Adriano já provaram diversas vezes a sua versatilidade, Gabriela e Miguel merecem todo o nosso apoio pelos papelões na insólita comédia “Por do Sol” e no suspense histórico “Glória”.

Os produtores de “A Metamorfose dos Pássaros” pareceram genuinamente surpreendidos com a atribuição do Globo de melhor filme a um documentário que já deu a volta ao mundo e recolheu um autêntico mar de prémios. Como é bom ver a qualidade superar a mediocridade (ainda que ela habite numa significativa percentagem da cerimónia e dos prémios). O mesmo aconteceu a “Selvagem”, peça de teatro com encenação de Marco Martins.

Não vos vou maçar com a osquestra de Nuno Feist, a Marisa Liz e a versão de “Guerra Nuclear” (original de Variações), a homenagem a Simone de Oliveira, a recordação de Eunice Muñoz pela neta (e restante momento com um belo grafismo dedicado aos que partiram), o bigode de Rui Reininho ou o discurso exaltado e em lágrimas da ‘revelação’ Ivo Lucas (a Remax e as aldeias de Alenquer rejubilaram com a perspectiva de novos habitantes).

Prefiro referir que Ricardo Araújo Pereira esteve bem ao agradecer o Globo de personalidade do ano no humor, mas ainda melhor esteve Rui Nabeiro, ao receber do Prémio Mérito e Excelência das mãos do quase cadavérico Francisco Pinto Balsemão (85 anos). Aos 91 anos, o comendador e empresário conseguiu emocionar a audiência com sagacidade, carinho e empatia pelos seus concidadãos, com votos e real esperança num mundo melhor. E é inegável o seu contributo ao longo dos anos. Houvesse mais pessoas inspiradas no seu modelo de gestão social.

Os Globos de Ouro prometem regressar em 2023. Esperemos que Clara de Sousa e Joana Marques também regressem, com sobriedade e irreverência, respetivamente.

PALMARÉS GLOBOS DE OURO 2022

MÚSICA

Melhor Música
“Andorinhas”, de Ana Moura

Melhor Intérprete
Dino d’Santiago

Melhor Atuação
Carolina Deslandes

ENTRETENIMENTO

Personalidade do Ano
Vasco Palmeirim

Personalidade do Ano – Digital
Joana Marques

CINEMA

Melhor Atriz de Cinema
Anabela Moreira

Melhor Ator de Cinema
Carloto Cotta

Melhor Filme
“A Metamorfose dos Pássaros”, de Catarina Vasconcelos

Revelação
Ivo Lucas

FICÇÃO

Melhor Atriz
Gabriela Barros

Melhor Ator
Miguel Nunes

Melhor Projeto
“Glória”

TEATRO

Melhor Atriz
Rita Rocha Silva

Melhor Ator
Adriano Luz

Melhor Peça/Espetáculo
“Selvagem”, encenação de Marco Martins

HUMOR

Personalidade do Ano
Ricardo Araújo Pereira

MODA

Personalidade do Ano
Béhen – Joana Duarte

Prémio Mérito e Excelência
Comendador Rui Nabeiro

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta