Faixa Atual

Título

Artista

Background

Fuso seleciona 13 obras sob o mote da resiliência

Escrito por em 04/08/2022

Obras em videoarte dos artistas Inês Norton e José Taborda estão entre as 13 selecionadas para concurso no Fuso – Festival Internacional de Videoarte, de regresso, em agosto, aos jardins e claustros de Lisboa, para a 14ª edição.

Sob o mote da resiliência, esperança e comunidade, o festival, organizado pela Duplacena, decorrerá entre 23 e 28 de agosto em sessões ao ar livre, de entrada gratuita, segundo um comunicado da organização.

Além das sessões curatoriais, está prevista uma sessão composta pelos vídeos submetidos a concurso, através de uma chamada aberta dirigida a artistas portugueses ou a residir em Portugal.

Para esta edição, foram submetidas 193 obras e selecionadas 13, a apresentar no dia 24 de agosto, na Praça de Carvão do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), dos artistas Gabriela Vaz-Pinheiro, Gui Athayde, Hoji Fortuna, Inês Norton, José Taborda, Júlio F. R. Costa, Léna Lewis-King, Leonor Sousa, Marcelo Moscheta, Maxime Martinot, Ricardo Leandro, Sara Carneiro e Tiago Bastos.

Jean-François Chougnet, diretor artístico do festival e responsável por esta seleção, citado no comunicado, aponta que a escolha se traduz “numa paridade estrita: seis mulheres artistas, seis homens artistas, e um coletivo”.

Os temas vão desde a reflexão sobre o colonialismo e processos de descolonização, o género, paisagem e tecnologia, estarão em destaque no programa. Jean-François Chougnet destaca também o “número crescente de artistas estrangeiros a produzir em Portugal, bastante representados nesta edição”, e refere que há menos trabalhos inspirados no confinamento pandémico.

“Sinal de que estamos a viver para o aqui e agora, e que a arte pode existir como um gesto de resiliência e esperança”, conclui o responsável artístico. Aos vídeos a concurso vão ser atribuídos dois prémios: o Prémio Aquisição Fundação EDP/MAAT para a melhor obra eleita pelo júri presidido por Margarida Chantre (Fundação EDP/MAAT) e o Prémio Incentivo Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual, atribuído pelo público, que consiste numa bolsa de estudos para frequência de um ano letivo de “Projeto Individual” no departamento de Cinema/Imagem e Movimento desta escola.

Os vencedores vão ser conhecidos na sessão de encerramento do festival, a 28 de agosto, no Museu da Marioneta, em Lisboa. No arquipélago dos Açores, será também apresentado o Fuso Insular, em São Miguel, no quadro da descentralização do festival, com sessões de curadores nacionais e internacionais.

Decorrerá um laboratório criativo de imagem em movimento para artistas locais entre julho e setembro, e a 4.ª edição do Fuso em São Miguel, entre 27 e 30 de outubro. O Fuso – Festival Internacional de Videoarte de Lisboa é financiado pela Direção-Geral das Artes, e está inserido no programa Lisboa na Rua, uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural).

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta