Faixa Atual

Título

Artista

Background

Instalação de Mikhail Karikis antecipa Lisboa Soa

Escrito por em 21/07/2022

Uma instalação de vídeo e som do artista greco-britânico Mikhail Karikis é inaugurada na sexta-feira em Lisboa, antecipando o sexto festival de arte sonora Lisboa Soa, previsto para agosto em dois espaços da capital, anunciou a organização.

Mikhail Karikis, que vive em Lisboa, inaugurará “Acoustics of Resistance”, nas Carpintarias de São Lázaro, sendo a primeira exposição de grande escala que apresenta em Portugal e que ficará patente até finais de agosto.

O trabalho do artista, no cruzamento entre som, imagens em movimento e performance, é desenvolvido em parceria com comunidades fora da arte contemporânea, sendo “Acoustics of Resistance” reflexo de uma experiência de Karikis com jovens que participaram num protesto climático em Londres em 2019.

“Acoustics of Resistance” cumpre, assim, uma pré-abertura do Festival Lisboa Soa, cuja programação central da sexta edição acontecerá entre 26 e 28 de agosto, no Teatro Romano e nas Carpintarias de São Lázaro.

Sob a direção da investigadora e realizadora Raquel Castro, o Lisboa Soa oferece uma programa cultural que cruza arte sonora, urbanismo e cultural auditiva, com concertos, instalações, performances, e que este ano se subordina ao tema da “Reinvenção”.

A programação anunciada inclui duas obras da artista britânica Dawn Scarfe no Teatro Romano, uma das quais no projeto colaborativo “lu:wn”, com a artista taiwanesa Lucia H. Chung, “que explora a repetição e a ressonância em sistemas acústicos e eletrónicos”, através da corda de uma guitarra elétrica tocada por vibração eletromagnética.

No Lisboa Soa estão ainda previstas performances do baterista Ricardo Martins, com “Ocaso”, e da cantora Clothilde, para voz e eletrónica. “Ocaso” é uma atuação para “bateria, voz, sensores, gravações e sintetizadores modulares”, e é uma continuação do trabalho de Ricardo Martins para o Lisboa Soa, já desenvolvido nas performances “Incerteza Absoluta” e “Chão de Cobras”.

O percurssionista italiano Riccardo La Foresta apresentará “Drummphone installation”: “Uma pilha de baterias, que se assemelha a um órgão de igreja, cria colunas de som, ressonâncias e ‘arpeggios’ lentos, revelando uma nova arquitetura do Teatro Romano”, explica o festival.

Toda a programação está em lisboasoa.com, que assume o formato de “galeria de arte sonora, expandindo a experiência do público para além das performances e dos concertos ao vivo”. O Lisboa Soa acontecerá integrado no programa Lisboa na Rua, organizado pela empresa municipal EGEAC.

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta