Faixa Atual

Título

Artista

Background

Gulbenkian e “La Caixa” apoiam 16 projetos de arte

Escrito por em 13/07/2022

Dezasseis projetos de arte participativa apoiados em um milhão de euros pela iniciativa PARTIS & Art for Change, programa das fundações Calouste Gulbenkian e “La Caixa”, vão arrancar em todo o país a partir de setembro, anunciaram hoje a organização.

Trata-se da segunda edição desta iniciativa, lançada em janeiro de 2020 com o objetivo de apoiar projetos artísticos para a inclusão social, que teve um ano de interregno devido à pandemia.

Num comunicado hoje divulgado, a Fundação Calouste Gulbenkian revela que os 16 projetos vencedores juntam “artistas profissionais e não profissionais em processos partilhados de aprendizagem, reflexão e construção de propostas artísticas em áreas tão variadas quanto o teatro, a música, a dança, o circo, a rádio, as artes visuais e o vídeo, com o propósito de desenvolver competências individuais e reforçar o sentimento de identidade e de pertença das comunidades”.

Os projetos vão intervir nas cidades de Lisboa e Porto, mas também em territórios inéditos no âmbito desta iniciativa, como Terras de Bouro, Montalegre, Vieira do Minho, São João da Madeira, Vila Nova de Famalicão, Elvas e Lagos.

Outra novidade da 2.ª edição do PARTIS & Art for Change é o aparecimento de propostas de trabalho que têm públicos-alvo nunca antes abordados neste âmbito, como pessoas infetadas com VIH+, jovens com medida tutelar educativa a frequentar escola de segunda oportunidade ou pessoas institucionalizadas com experiência de doença mental.

No que respeita a já habituais em edições anteriores, a Gulbenkian destaca a existência de projetos com jovens ‘NEET’ – Nem em Educação, Formação ou Trabalho –, com comunidades ciganas e com reclusos.

Entre as entidades promotoras, “14 são estreantes no quadro desta iniciativa, nomeadamente a Cooperativa Árvore (Porto), a P28 Manicómio (Lisboa), a Companhia Erva Daninha (Porto e Gondomar), a Associação cultural UMCOLETIVO (Elvas), o Instituto Nacional de Artes do Circo (V. N. Famalicão) ou a Associação cultural Rural Vivo (Gerês)”.

A Fundação Calouste Gulbenkian destaca que o custo total dos projetos representa um investimento de cerca de um milhão de euros, repartido igualmente entre a Fundação Calouste Gulbenkian e a fundação espanhola ”La Caixa”.

Todos os projetos terão início em setembro e uma duração de dois a três anos. Este conjunto de iniciativas junta-se assim aos 16 projetos selecionados na primeira edição PARTIS & Art for Change, que estão em curso desde janeiro do ano passado.

As candidaturas para a segunda edição do PARTIS & Art for a Change decorreram entre 10 de janeiro e 17 de fevereiro. A Fundação Calouste Gulbenkian apoia, desde 2013, projetos de intervenção social pelas artes através do programa PARTIS – Práticas Artísticas para a Inclusão Social. Ao longo de três edições, “foram apoiados 48 projetos, num total de três milhões de euros de financiamento”.

A iniciativa Art for Change, da “la Caixa”, existe desde 2008, em Espanha, e foi criada “com o objetivo de apoiar projetos artísticos que promovessem a transformação social”. Até hoje, receberam financiamento “421 projetos apresentados por entidades artísticas e culturais, no valor de mais de 6 milhões de euros, que abrangeram 62 mil participantes”.

Em 2020, as duas fundações juntaram-se e criaram a PARTIS & Art for a Change, que na 1.ª edição apoiou 16 projetos artísticos, com 1,5 milhões de euros, escolhidos entre 132 candidaturas. Os 16 projetos escolhidos tiveram início em janeiro de 2021 e têm entre dois e três anos de duração.

O programa dirige-se a “entidades coletivas – públicas ou privadas sem fins lucrativos -, legalmente reconhecidas e sediadas em Portugal”, que poderão apresentar projetos “transformadores de arte participativa, a implementar entre 2022 e 2025”.

Os “mais inovadores projetos artísticos com impacto social, nas áreas das artes performativas, plásticas ou audiovisuais” receberão um apoio até um máximo de 25 mil euros por ano.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta