Faixa Atual

Título

Artista

Background

Presidente do Camões defende “língua de ciência e de investigação”

Escrito por em 24/06/2022

A língua portuguesa tem de ser uma “língua de ciência e de investigação” para garantir o estatuto de língua global, defendeu hoje o presidente do instituto Camões, João Ribeiro de Almeida, após uma visita de dois dias a Londres. 

O embaixador falava da importância dos protocolos de apoio à docência com 14 universidades britânicas, onde estão colocados 18 professores e estudam cerca de 1.500 alunos. Estes académicos, vincou, estão a “fazer trabalho de promoção, de investigação e de pesquisa de língua portuguesa a nível superior”.

“É um grande esforço do Camões e um grande esforço do Estado português, no sentido de cada vez mais ter a língua portuguesa como língua de ciência, de investigação, de comunicação científica”, afirmou João Ribeiro de Almeida à Lusa.

Segundo o presidente do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, há mais universidades britânicas interessadas a apostar na língua portuguesa, seja com departamentos de estudos portugueses ou ligados aos hispânicos.

“Interessa é que haja sítios onde o português tenha possibilidade de se expandir e de, sobretudo, chegar enquanto língua de ciência também a áreas de investigação importantes, seja de que temática for”, enfatizou.

No Ensino de Português no Estrangeiro (EPE), o Camões tem 28 professores e 3.500 alunos do ensino primário ao secundário. Ribeiro de Almeida reconheceu que tem existido “algum decréscimo não muito grande” no ensino paralelo fora do programa curricular das escolas porque é feito em horário extracurricular e exige das crianças “apetência – e até vontade dos próprios pais – em vez de irem fazer desporto, ter umas aulas de português”. 

“Temos que ser atrativos e apelativos em relação aos conteúdos. A Coordenação Geral do Ensino está muito ciente disso e está a fazer um trabalho incrível”, vincou. Nesta “primeira de várias visitas de trabalho” planeadas para o Reino Unido, o presidente do instituto Camões visitou o Centro de Estudos Portugueses no King’s College, a escola primária bilingue Anglo-Portuguese School of London e encontrou-se com docentes e artistas. 

Durante a deslocação ouviu também a preocupação manifestada por professores deslocados com o impacto da crise do custo de vida no Reino Unido, onde a taxa de inflação aumentou para 9,1%. Ribeiro de Almeida disse que a questão vai ser transmitida e discutida “com uma especial nota de preocupação” com os ministérios dos Negócios Estrangeiros e das Finanças, e admitiu que venha a ser acionado um “mecanismo de correção” cambial para ajustar as remunerações.

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta