Faixa Atual

Título

Artista

Background

Festival de Piano de Oeiras homenageia Tania Achot

Escrito por em 24/06/2022

Os pianistas António Rosado e Nicolai Lugansky estão entre os protagonistas do Festival Internacional de Piano de Oeiras, que começa no domingo, com um recital de Teresa da Palma Pereira, e homenageia Tania Achot (1937-2022).

Jorge Prats, Olga Kern e Jan Michiels são os outros pianistas anunciados para os seis diferentes recitais do festival, a cumprir nos próximos fins de semana, até 31 de julho.

“Um evento que servirá também para homenagear a pianista e professora Tania Achot”, que morreu no passado mês de janeiro, aos 85 anos, afirma em comunicado a Câmara de Oeiras, parceira da Academia Flor de Murta, que organiza o festival.

A organização realça que Tania Achot “influenciou profundamente” a escola portuguesa de piano, com as suas interpretações, e como professora na Escola Superior de Música de Lisboa, “ensinando sucessivas gerações de nomes importantes do panorama pianístico nacional”.

De origem arménia, Tania Achot-Haroutounian era natural da antiga Pérsia, atual Irão, onde nasceu em 1937, a 3 de janeiro, mas afirmava-se de origem e formação musical russas. Mais tarde naturalizou-se portuguesa, tendo sido casada com o pianista José Sequeira e Costa (1929-2019). Conquistou o 3.º lugar no Concurso Internacional de Piano Chopin de Varsóvia, em 1960, edição vencida pelo pianista italiano Maurizio Pollini.

“Tania Achot foi autora de uma discografia extensa e relevante, que incluiu gravações para a Deutsche Grammophon, tendo participado em sucessivas temporadas de música organizadas pela Fundação Calouste Gulbenkian, integradas nos ciclos de piano – atuando com a orquestra e em recitais a solo”, recorda a organização de festival, que inclui muitos dos seus compositores de eleição, na programação desta quinta edição.

Entre o próximo domingo, 26 de junho, e o último dia julho, sempre no Auditório Ruy de Carvalho, em Carnaxide, no concelho de Oeiras, atuam Teresa da Palma Pereira, que foi discípula de Tania Achot, seguida de Jorge L. Prats, Olga Kern, Jan Michiels, António Rosado e Nikolai Lugansky, que encerra o certame.

A pianista Teresa da Palma Pereira, diretora artística do Festival, deseja que Oeiras passe a fazer parte do “roteiro internacional dos festivais de música clássica”, a par de outros no continente europeu, lê-se no mesmo comunicado.

Paralelamente, o Festival organiza uma série de ‘masterclasses’, para jovens pianistas portugueses e estrangeiros, que “poderão aprender diretamente com Olga Kern, a 08 de julho, Teresa da Palma Pereira, de 10 a 12 de julho, e Jan Michiels, de 18 a 20 de julho”.

No âmbito destas ‘masterclasses’, será promovido um recital, pelos jovens intérpretes, e atribuído um prémio monetário para a melhor interpretação de uma peça de um compositor do período clássico.

Teresa da Palma Pereira protagoniza o concerto inaugural, no domingo, no qual interpreta Mozart (Sonata em si bemol maior K.280), Béla Bartók (“Danças Romenas”), Tchaikovsky (“Danse des Petits Cygnes”, do “Lago dos Cisnes”, com arranjo de Nikolai Kashin) e Mussorgsky (“Quadros de Uma Exposição”).

O concerto seguinte, no dia 03 de julho, é do pianista cubano Jorge L. Prats, que vai interpretar obras de Robert Schumann (Estudos sinfónicos op.13), Chopin (24 Prelúdios, op.28) e Maurice Ravel (“La Valse”).

Segue-se a pianista russo-americana Olga Kern, a 09 de julho, com Beethoven (“Variações sobre um tema de Salieri”), Schumann (“Carnaval”), George Gershwin (3 Prelúdios), Earl Wild/Gershwin (“Fascinating rhythm”), Rachmaninoff (Moment musical op.16-4, Études-tableaux op.33-8 e “Polichinelle” op.3-4), Tchaikovsky (“Meditation”), Scriabin (2 Études op.42 – 4 e 5) e Balakirev (“Islamey”).

No dia 17 de julho, o pianista de origem belga Jan Michiels dedica o seu programa a Schubert (“Moments Musicaux” D.780), Mendelssohn, com a transcrição para piano da 3.ª Sinfonia, “Escocesa”, por Francis Planté, e a Sonata op. 11, de Schumann.

António Rosado, um dos mais destacados pianistas portugueses, atua no dia 24 de julho, com um programa exclusivamente dedicado a compositores franceses: Claude Debussy (Prelúdios do Livro 1), Maurice Ravel (“Valses Nobles et Sentimentales”), Erik Satie (“Je te veux”), e Francis Poulenc (“Napoli”).

Antigo discípulo de Aldo Ciccolini no Conservatório Superior de Música de Paris (um dos principais intérpretes de Satie), António Rosado foi o primeiro pianista português a realizar as Integrais dos Prelúdios e dos Estudos de Claude Debussy, tendo, em 2007, sido distinguido pelo Governo de França com a ordem de Cavaleiro das Artes e das Letras.

No encerramento do festival, o pianista russo Nikolai Lugansky interpreta as sonatas “Tempestade” e “Appassionata”, de Beethoven, uma seleção das “Forgotten Melodies”, de Nicolai Medtner, e dos “Études Tableaux”, de Rachmaninoff.

O pianista venceu a All-Union Competition em Tbilisi, em 1988, no mesmo ano em que foi medalha de prata na 8.ª Competição Bach, em Leipzig, na Alemanha. Em 1992, foi considerado o Melhor Pianista na Academia Internacional de Verão, “Mozarteum”, em Salzburgo, na Áustria. Nos últimos 30 anos, firmou-se entre os melhores intérpretes da sua geração.

O primeiro recital, no próximo domingo, tem início marcado para as 21:00, todos os outros, para as 18:00. A programação do festival pode ser consultada em https://www.fipoeiras.com/programa/.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta