Faixa Atual

Título

Artista

Background

Aula Magna recebe “Barroco em Festa”

Escrito por em 22/06/2022

O concerto “Barroco em Festa”, no próximo domingo pelas 18:00, na Aula Magna, em Lisboa, celebra os 25 anos do Coro de Câmara da Universidade de Lisboa.

O coro, sob a direção do maestro Luís Almeida, apresenta um programa que inclui peças dos compositores António Marques Lésbio (1639-1709), António Teixeira (1707-1769) e Francisco António de Almeida (1702-1755) e, a fechar, com alguns dos seus antigos elementos e o Ensemble Barroco, é interpretada “a icónica obra” Te Deum, do compositor francês Marc-Antoine Charpentier (1643-1704).

O concerto conta ainda com as participações do Coro Infanto-juvenil da Universidade de Lisboa, sob a direção de Erica Mandillo, e do Ensemble Barroco, sendo solistas Pedro Castro e Luís Marques (oboé).

O Coro Infanto-juvenil vai interpretar “Três Esconjuros”, numa versão adaptada de Fernando Lopes-Graça (1906-1994) e o vilancico português de Natal, do século XVII, “Sã qui turo zente pleta”, de autoria de um monge de Santa Cruz de Coimbra.

O Ensemble Barroco vai tocar o Concerto em ré menor para dois oboés, de Antonio Vivaldi (1678-1741). O Ensemble Barroco foi constituído especificamente para este projeto, com as características necessárias para se interpretar de forma historicamente informada o Te Deum, de Charpentier, segundo informação facultada pelo coro. O grupo tem por base o Ensemble Arabesco, sendo todos instrumentistas profissionais da música barroca.

Muitos dos instrumentos tocados neste concerto são também réplicas, ou de construção segundo técnicas do século XVII e XVIII, como o cravo, os trompetes naturais, o fagote barroco, os oboés barrocos, as flautas doces.

Todos os membros do Coro de Câmara da Universidade de Lisboa (CCUL) são amadores entusiastas da música clássica de diferentes épocas, com especial foco em madrigais renascentistas e na música barroca, e repertório do século XX e contemporâneo.

O CCUL foi fundado em maio de 1997 pelo maestro José Robert, também seu diretor artístico, tendo como maestro assistente Pedro Teixeira. O maestro Luís Almeida dirige o coro desde 2010.

Do repertório do coro constam entre outras as obras “Bendita Sabedoria”, de Heitor Villa-Lobos, Pai Nosso, de Janacék, Requiem para seis Vozes, de Duarte Lobo, Missa Brevis, de Kodaly, Missa Brevis em Memória de Aristides de Sousa Mendes, de Sérgio Azevedo, e Díptico Mariano, de Eurico Carrapatoso, dedicado ao CCUL e apresentado no Concerto do 10º. aniversário do Coro.

O CCUL, em 2004, organizou e produziu a apresentação do Requiem pelas Vítimas do Fascismo em Portugal, de Fernando Lopes-Graça, com a Orquestra Nacional do Porto, sob a direção do maestro Marc Tardue, e com a participação do Coro da Universidade de Lisboa e do Coral de Letras da Universidade do Porto. O CCUL é composto, habitualmente, por 20 elementos e, “para este concerto, expandiu-se para 30 elementos com a integração de antigos cantores do coro”.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta