Faixa Atual

Título

Artista

Background

Apresentação de CD da Orquestra Sinfónica Portuguesa

Escrito por em 26/05/2022

O novo CD gravado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa (OSP), sob direção de Bruno Borralhinho, totalmente constituído por obras de Fernando Lopes-Graça, editado pela Naxos, é apresentado na próxima terça-feira, em Lisboa.

O disco é apresentado às 19:00 no Salão Nobre do Teatro Nacional de São Carlos (TNSC), que em nota justifica a escolha de Lopes-Graça como uma das suas “obrigações de serviço público”.

Na sessão de apresentação, moderada pela produtora Andrea Lupi, participam a diretora artística do TNSC, Elisabete Matos, o compositor Sérgio Azevedo, a violoncelista Irene Lima e o violoncelista e regente Bruno Borralhinho.

No final, a OSF interpretará a peça “Divertimento”, de Fernando Lopes-Graça (1906-1994) incluída no CD. Fernando Lopes-Graça, quando menino, teve lições particulares de piano e, aos 13 anos, já frequentava os serões de música de câmara da família Mota Lima que habitava a casa que pertencera aos priores da Ordem de Cristo, extinta no século XIX.

Nascido a 17 de dezembro de 1906, em Tomar, o pianista, compositor e pedagogo Fernando Lopes-Graça foi uma figura emblemática do século XX português, tendo-se destacado pelo desenvolvimento de uma intensa atividade cultural, artística, pedagógica e cívica. A sua oposição à ditadura do Estado Novo, impediu-o durante muitos de dar aulas e de obter reconhecimento público pelo seu trabalho.

Fundou e dirigiu durante mais de 40 anos o Coro da Academia de Amadores de Música, em Lisboa, para o qual escreveu centenas de arranjos de canções tradicionais, grande parte das quais recuperada à tradição oral, em viagens pelo “Portugal profundo”, numa colaboração com o etnólogo Michel Giacometti. Como compositor, criou uma extensa obra que percorre vários géneros musicais e lhe mereceu reconhecimento nacional e internacional.

A obra de Lopes-Graça caracteriza-se pela influência das correntes modernistas a que conciliou a recuperação da tradição musical portuguesa.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta