Faixa Atual

Título

Artista

Background

Prémio Carlos Magno entregue à Orquestra Sem Fronteiras

Escrito por em 24/05/2022

O Prémio Europeu Carlos Magno, numa parceria da respetiva fundação com o Parlamento Europeu, foi hoje entregue à Orquestra Sem Fronteiras, com sede na Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, foi hoje anunciado pelo Parlamento Europeu.

“Este é um projeto muito especial, que inclui jovens. Este prémio abriu um mundo novo a todos nós; claro que há projetos dedicados a estas pessoas, mas este faz do mundo um lugar melhor, onde a cultura é acessível a todos, aos que se sentem menos representados e aos menos providos de condições”, disse a vice-presidente do Parlamento Europeu, Katarina Barly, na sessão de entrega, segundo comunicado desta instituição europeia.

A Orquestra Sem Fronteiras é um projeto de maestro Martim Sousa Tavares, que se estreou em março de 2019. Em fevereiro de 2019, quando a OSP foi apresentada em Lisboa, em conferência de imprensa, Sousa Tavares afirmou que esta visava “fixar talento jovem” no interior de Portugal, e dinamizar em termos culturais estas regiões e a zona da raia luso-espanhola.

A orquestra tem um número irregular de instrumentistas, e propõe-se apresentar concertos fora dos grandes centros populacionais, e com menos acesso à cultura, disse ao jornalista Nuno Lopes, da Lusa, na ocasião, Martim Sousa Tavares.

Segundo números avançados pela OSF, esta já se apresentou “em mais de 40 localidades entre Portugal, Espanha e Brasil”. A OSF, em conjunto com a Orquestra Sinfónica Juvenil Carioca, estreou no Brasil, em março de 2019, a peça ”A Menina do Mar”, de Fernando Lopes-Graça, baseada no conto de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004).

O concerto realizou-se no Real Gabinete Português de Leitura, no Rio de Janeiro, tendo esta obra sido “tocada pela primeira vez no estrangeiro”, segundo Martim Sousa Tavares. No próximo dia dia 11 de junho, a OSF, sob a direção do maestro Martim Sousa Tavares, apresenta o concerto “Da Primavera para o Verão”, na Casa da Cultura de Mora, no distrito Évora.

O programa inclui a estreia da peça “Arrayollos”, de João Nascimento, uma encomenda da OSF, a Sinfonietta, de Benjamin Britten, e a “Pastorale d’Été”, de Arthur Honegger. O Prémio Europeu Carlos Magno para a Juventude, uma parceria do Parlamento Europeu com a Fundação do Prémio Internacional Carlos Magno, de Aachen, foi criado em 2008, e é “atribuído a projetos desenvolvidos por jovens que promovem o entendimento a nível europeu e internacional”, destacando “o trabalho quotidiano desenvolvido por jovens de toda a Europa para reforçar a democracia europeia e apoiar a sua participação ativa na construção do futuro da Europa”.

Presidente da República felicita Orquestra Sem Fronteiras

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou hoje a Orquestra Sem Fronteiras, com sede na Idanha-a-Nova, pelo Prémio Europeu Carlos Magno para a Juventude 2022, sublinhando o “valor dos jovens e a elevação da cultura raiana ibérica”.

Numa nota publicada no ‘site’ oficial da presidência, Marcelo Rebelo de Sousa felicitou “calorosamente” a Orquestra Sem Fronteiras e o seu diretor musical, Martim Sousa Tavares.

“A Orquestra Sem Fronteiras é composta por mais de 150 jovens músicos da Raia ibérica e tem como missão apoiar e fixar talento jovem no interior do país através da música”, pode ler-se na nota de imprensa. Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou também “o valor dos jovens e a elevação da cultura Raiana ibérica”.​​​​​​​


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta