Faixa Atual

Título

Artista

Background

David Doutel e Vasco Sá preparam longa “Una”

Escrito por em 08/05/2022

Os realizadores David Doutel e Vasco Sá estão a preparar a primeira longa-metragem de animação, intitulada “Una”, produzida pelo BAP Studio e que contará com um milhão de euros de apoio do Instituto do Cinema e Audiovisual.

Em declarações à jornalista Sílvia Borges da Silva, da Lusa, David Doutel explicou que o argumento do filme é da escritora Regina Guimarães, tendo subjacente o tema da sustentabilidade ambiental.

O filme cruzará dois conceitos que se relacionam, um sobre “o paradoxo da extração de energias renováveis, neste caso o lítio, para salvar o planeta”, e outro sobre ecoansiedade nos mais jovens.

“Há uma tendência para se crescer de uma forma menos otimista em relação ao futuro”, tendo em conta esta questão da sustentabilidade ambiental e da defesa do planeta, referiu David Doutel.

“Una” será a primeira longa-metragem de ficção de David Doutel e Vasco Sá, que têm colaborado em várias curtas-metragens de animação, nomeadamente “O sapateiro” (2011), “Agouro” (2018) e “Garrano” (2022).

“Tivemos vontade de dar o salto e explorar o formato da longa-metragem. […] Visualmente queremos dar continuidade ao que temos feito nas curtas-metragens, o registo gráfico visual que tenho trabalhado com o Vasco Sá, de animação 2D com um lado mais orgânico, usando a pintura a óleo e as texturas”, descreveu o realizador e produtor.

O filme está ainda em pré-produção, em fase de testes de animação, de criação do ‘storyboard’ e de montagem financeira, devendo contar com um orçamento entre três a quatro milhões de euros, incluindo o apoio já obtido no Instituto do Cinema e Audiovisual.

“A dimensão da produção será uma parte fundamental disto, vamos precisar de muito mais gente para trabalhar connosco. Isso é uma realidade e também uma dificuldade. Vamos precisar de ajuda de outros países” na coprodução, disse.

David Doutel calcula que a produção desta longa-metragem precise entre 30 a 40 pessoas a trabalharem ao mesmo tempo, mas a produtora também quer preservar “um lado mais parecido com o processo de fazer uma curta-metragem”.

“Gostava que as coisas tivessem alguma proximidade, que não ganhassem uma escala que criasse distância entre as pessoas da equipa. [Queríamos] conseguir fazer isto com equipas mais pequenas, mas isso depois traduz-se no tempo”, alertou.

Entre as primeiras ideias até à estreia, os realizadores estimam um tempo de trabalho de seis anos. O trabalho de produção de uma longa-metragem de animação é moroso, não só pelo trabalho criativo, mas também pelo processo de angariação de várias fontes de financiamento e de contratação de profissionais por vários anos para um trabalho “continuado, estável e sem precariedade”, explicou.

David Doutel reconhece que Portugal está a produzir longas-metragens de animação “um bocadinho tarde em relação ao resto da Europa”, também pelo facto de o programa de apoio do ICA à produção neste formato ser muito recente, de 2014.

Ao abrigo deste apoio bienal do ICA foi já atribuído apoio financeiro aos projetos “Nayola”, de José Miguel Ribeiro, “Os demónios do meu avô”, de Nuno Beato – ambos com estreia marcada para este ano em Annecy, França -, “Dom Fradique”, de Zepe, e “Una”, de Vasco Sá e David Doutel.

“Una” será ainda a primeira experiência de longa-metragem do BAP Studio, uma cooperativa de cinema de animação criada em 2011 no Porto a partir da produtora de cinema Bando à Parte. Do núcleo duro do BAP Studio fazem parte David Doutel, Vasco Sá, Laura Gonçalves, Alexandra Ramires, Rodrigo Areias e Victor Hugo Rocha.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta