Faixa Atual

Título

Artista

Background

Porto Cello Festival de 19 a 22 no Porto e em Matosinhos

Escrito por em 03/05/2022

A primeira edição do Porto Cello Festival chega a vários espaços emblemáticos do Porto e de Matosinhos, de 19 a 22 de maio, com mais de 50 artistas, e uma programação com propostas para todos.

O violoncelo é o protagonista deste evento que explora “diferentes estilos de música, do jazz à música de câmara, do blues ao samba” e que, para além dos concertos, propõe aulas e momentos de diálogo “com a pintura, a dança e o yoga”, adianta a organização, em comunicado.

De entre 15 concertos, destaca-se Rotas do Samba, inspirado no álbum “Samba de Guerrilha”, de Luca Argel, que será acompanhado pelo Ensemble Porto Cello Festival, logo no dia de abertura, no Hard Club, no Porto.

No dia 20 de maio, o compositor e pianista Daniel Bernardes traz “Vignette”, uma obra que “nasce de um diálogo com filmes de Teresa Villaverde, Manoel de Oliveira, Paulo Rocha, João Botelho, Pedro Costa e Sérgio Tréfaut”, num espetáculo em que é acompanhado por Filipe Quaresma, no violoncelo, e João Barradas, no acordeão, no Coliseu do Porto.

O Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões acolhe, novamente pela mão do Ensemble Porto Cello Festival, o espetáculo “La Mer”, com um programa que inclui a obra homónima de Claude Debussy, passando por Maurice Ravel, Gabriel Fauré e Julius Klengel, e que traz ainda, em estreia absoluta, as peças “Diálogo entre espadas e copas”, de Catarina Sá Ribeiro, e “Ocean’s Twelve”, de Carlos Azevedo, em 21 de maio.

A encerrar o festival, o Coliseu do Porto recebe o “Jazz Express”, com Stephan Braun, no violoncelo, João Barradas, no acordeão, Ricardo Toscano, no saxofone, Tiago Batista, no vibrafone, Diogo Alexandre, na bateria, e Demian Cabaud, no contrabaixo.

Há também a apresentação do EP “Camomila (Música para embalar seres de todos os tamanhos)”, de Luísa Sobral e Ana Raquel Pinheiro, no auditório do Conservatório de Música do Porto.

O evento promove ainda uma homenagem ao violoncelista Paulo Gaio Lima, que morreu em 17 de maio de 2021, numa atuação dos Ensembles de Violoncelos de várias universidades do país que faz um diálogo com a pintura, no Museu Nacional Soares dos Reis.

Serão também realizadas três ‘masterclasses’ com professores como Filipe Quaresma e Levon Mouradian, e com o violoncelista de jazz Stephan Braun, que ensina ‘loop station’ e improvisação livre.

“Para além dos concertos, o Porto Cello Festival promove a ‘Cello Experience’, que permite a qualquer pessoa ter um primeiro contacto com este instrumento”, explica a organização.

Este evento realiza-se no Coliseu Porto Ageas, no Hard Club, o Terminal de Matosinhos, do Jardim do Palácio de Cristal, na Galeria da Biodiversidade, na Casa das Artes, no Ateneu Comercial do Porto, no Museu da Cidade, no Conservatório de Música do Porto e no Museu Nacional Soares dos Reis.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta