Faixa Atual

Título

Artista

Background

“Restos do Vento” de Tiago Guedes estará em Cannes

Escrito por em 21/04/2022

O filme “Restos do Vento”, do realizador português Tiago Guedes, foi selecionado para o Festival de Cinema de Cannes, em maio em França.

Uma semana depois de ter revelado a programação oficial da 75.ª edição, a direção do festival anunciou hoje a seleção de mais 17 filmes, e entre eles está, em estreia mundial, fora de competição, a mais recente longa-metragem de Tiago Guedes, intitulada “Restos do Vento”, produzida pela Leopardo Filmes.

Com argumento de Tiago Guedes e Tiago Rodrigues, “Restos do Vento” é protagonizado por Albano Jerónimo, Nuno Lopes, Isabel Abreu, João Pedro Vaz, Gonçalo Waddington e Leonor Vasconcelos.
“Uma tradição pagã numa vila do interior de Portugal deixa traços dolorosos num grupo de jovens adolescentes. Vinte e cinco anos depois, ao reencontrarem-se, o passado ressurge e a tragédia instala-se”, lê-se na sinopse.

Tiago Guedes é autor de filmes como “A Herdade”, exibido em 2019 em Veneza, “Tristeza e alegria na vida das girafas”, e da série de ficção “Glória”, para a plataforma Netflix.

Da lista hoje anunciada por Cannes para as “Special Screenings” – selecção oficial fora de competição – fazem ainda parte os filmes “Tourment sur les îles”, de Albert Serra, e que, segundo o organismo francês Unifrance, tem coprodução minoritária portuguesa, “Mi pais imaginado”, de Patricio Guzman, o musical “Don Juan”, de Serge Bozon, “L’Innocent”, de Louis Garrel, e a animação “Le Petit Nicolas”, de Amandine Fredon e Benjamin Massoubre.

O Festival de Cannes cumprirá a 75.ª edição de 17 a 28 de maio, abrindo com “Z (comme Z)”, uma comédia de Michel Hazanavicius. Além de “Restos do Vento”, haverá outras produções em sessões especiais, nomeadamente do filme “The natural history of destruction”, nova obra do ucraniano Sergei Loznitsa que aborda a história recente da Europa no século XX, em particular no pós-Segunda Guerra Mundial.

Da competição oficial fazem parte, entre outros, “Crimes of the future”, do canadiano David Cronenberg, e que conta com o ator luso-guineense Welket Bungué, “Stars at noon”, de Claire Denis, “Triangle of sadness”, de Ruben Ostlund, e “Tchaikovski’s wife”, do dissidente russo Kirill Serebrennikov, atualmente a viver em Berlim, depois de ter sido autorizado a sair da Rússia.

“Armageddon Time”, do norte-americano James Gray – quatro vezes nomeado para a Palma de Ouro -, e “Decision to leave”, do sul-coreano Park Chan-Wook, prémio do júri com “Oldboy” (2003), também estarão na competição de Cannes.

Fora de competição estarão também “Jerry Lee Lewis: Trouble in Mind”, documentário do norte-americano Ethan Coen sobre um dos pioneiros do rock n’roll, atualmente com 85 anos; o já anunciado “Elvis”, do australiano Baz Luhrmann, e “Three thousand years of longing”, do conterrâneo George Miller.

Cannes já tinha anunciado anteriormente que o ator norte-americano Tom Cruise seria um dos homenageados desta edição, com a estreia de “Top Gun: Maverick”, de Joseph Kosinski.

Na secção “Un Certain Regard” estarão 15 filmes, entre os quais oito primeiras obras, como “Les Pires”, de Lise Akoka e Romane Gueret, e “Metronom”, de Alexandru Belc, aos quais se juntam “Domingo y la niebla”, segundo filme de Ariel Escalante Meza, e um filme, ainda sem título, de Gina Gammell e Riley Keough, neta de Elvis Presley.

Na Quinzena de Realizadores estará “Fogo-Fátuo”, novo filme do realizador português João Pedro Rodrigues, e, na Semana da Crítica, estarão “Alma Viva”, da realizadora luso-francesa Cristèle Alves Meira, “Ice Merchants”, curta de animação de João Gonzalez, e “Tout le monde aime Jeanne”, primeira obra da realizadora francesa Céline Devaux, rodada em Lisboa e com coprodução portuguesa pela O Som e a Fúria.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta