Faixa Atual

Título

Artista

Background

Nimas recorda Jorge Silva Melo com um ciclo de filmes

Escrito por em 18/04/2022

O cinema Nimas, em Lisboa, dedicará cinco sessões de cinema este mês ao encenador e realizador Jorge Silva Melo, que morreu a 15 de março, aos 73 anos.

A homenagem começará, no dia 25, com o filme “Silvestre”, de João César Monteiro, de 1981, no qual entra Jorge Silva Melo, seguindo-se, “António, um rapaz de Lisboa” (2002), que o encenador filmou depois de ter levado a história a palco, numa peça de teatro.

Ainda no dia 25, o Nimas projetará um vídeo que recupera uma passagem de Jorge Silva Melo pelo festival LEFFEST, em 2013, ano em que foi feita uma retrospetiva da obra do autor, e recordará “Agosto” (1988), também assinado pelo realizador.

No dia 30, o Nimas terá o documentário “Álvaro Lapa: A literatura” (2008) e “E não se pode exterminá-lo?”, de 1979, coassinado com Solveig Nordlund, a partir de um espetáculo encenado pela Cornucópia, com base em textos do alemão Karl Valentin.

Encenador, escritor, realizador, ator e tradutor, Jorge Silva Melo é considerado, por todas as funções que ocupou em mais de meio século de carreira ligada ao teatro, um dos nomes fundamentais do palco em Portugal.

Jorge Silva Melo foi cofundador do Teatro da Cornucópia, em 1973, com Luís Miguel Cintra, e fundador dos Artistas Unidos, em 1995, que dirigiu até à sua morte.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta