Faixa Atual

Título

Artista

Background

“Km 224” de António-Pedro Vasconcelos estreia a 21 de abril

Escrito por em 15/03/2022

O filme “Km 224”, do realizador português António-Pedro Vasconcelos, estreia nos cinemas a 21 de abril, revelou a produtora Leopardo Filmes.

Protagonizado por Ana Varela e José Fidalgo e rodado em Lisboa no verão passado, o filme foi escrito também por António-Pedro Vasconcelos a partir de uma ideia da escritora Filipa Martins.

O filme “acompanha a história de um divórcio conflituoso entre Mário (José Fidalgo) e Cláudia (Ana Varela), marcado pela disputa da guarda dos dois filhos”, lê-se na sinopse. O elenco conta ainda com Gonçalo Menino e Sebastião Matias, Lia Gama, Rui Morrison e Pedro Hossi, entre outros.

“Km 224” foi produzido por Paulo Branco, com quem António-Pedro Vasconcelos chegou a trabalhar nos anos 1970 e 1980, na produtora V.O. Filmes, através da qual produziram filmes de nomes como Manoel de Oliveira, João Botelho e João Mário Grilo, mas acabaram por divergir no cinema.

António-Pedro Vasconcelos, 83 anos, volta a ter uma longa-metragem nas salas de cinema quatro anos depois de ter estreado “Parque Mayer”, que lhe valeu o prémio Sophia de melhor realização, pela Academia Portuguesa de Cinema.

Ainda em 2018, a Cinemateca Portuguesa dedicou-lhe um ciclo, com a exibição integral da obra cinematográfica, apelidando-o de “obreiro decisivo de uma geração decisiva” do cinema português.

“Viajar pela obra de António-Pedro Vasconcelos é assim viajar por mais de meio século de cinema português e pelos debates levados a cabo no seio dele, desde um cinema muito próximo da vida e da vivência do autor a um outro que procura aproximar-se mais dos grandes modelos universais da ficção e de um cinema de género”, afirmou, na altura, a Cinemateca.

A cumprir meio século desde a estreia da primeira longa-metragem “Perdido por cem…” (1973), António-Pedro Vasconcelos é ainda autor de filmes como “Oxalá” (1980), “Aqui d’el rei” (1991), “Jaime” (1999), “Os imortais” (2003) e “O lugar do morto”, possivelmente um dos filmes de ficção mais conhecidos do realizador.

Mais recentemente, António-Pedro Vasconcelos assinou ainda “A bela e o paparazzo” (2010) e “Os gatos não têm vertigens” (2014). Em 2016 fez o documentário televisivo “A voz e os ouvidos do MFA”, produzido para a RTP.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta