Faixa Atual

Título

Artista

Background

Rodrigo Prista e Maria Teresa Meireles vencem Prémio Alves Redol

Escrito por em 11/03/2022

Os escritores Rodrigo Prista e Maria Teresa Meireles venceram por unanimidade o Prémio Literário Alves Redol 2021, nas categorias romance e conto, com as obras “Caderno de Desapontamentos Laboratoriais” e “A Pele é um incêndio”, respetivamente.

Sobre o romance “Caderno de Desapontamentos Laboratoriais”, de Rodrigo Prista, o júri do prémio destacou que “é uma obra caracterizada por um estilo solto, fluido e elegante, através do qual o narrador evoca o seu amor pelo avô de 90 anos com uma ternura que, sem cair em lamentos piedosos, cativa o leitor pela ironia inteligente e pelo espanto diante da vida, da morte e da existência”.

“Este é um romance que se lê com o mesmo gosto com que se vive o conhecimento da natureza e da razão de todas as coisas ligadas à vida e à morte, apresentando ainda a rara virtude de provar que a qualidade da escrita literária pode conviver em harmonia com o alcance humano e a profundidade emocional do material narrado”, lê-se na nota de imprensa da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, que promove o prémio.

Relativamente à obra “A Pele é um incêndio”, de Maria Teresa Meireles, o júri considerou que a “autora revela nos seus contos um bom domínio da linguagem literária, com a curiosidade de cada um desses contos ser dedicado a um escritor”.

Cada autor objeto da dedicatória enquadra-se, de algum modo, no conto da própria autora seja pelo tema ou por aspetos mais formais da narrativa. “Com mestria narrativa, e por vezes alguma inovação formal, alguns dos contos abordam temáticas fundamentais à existência humana como a morte, os filhos ou o amor enquanto outros elaboram com particular finura literária sobre dimensões do quotidiano”, sublinha.

A edição deste ano do Prémio Alves Redol registou 357 obras a concurso, um “número recorde” de candidaturas na história do prémio. Rodrigo Prista, de 26 anos, é autor da série “Instaverso”, produzida para a RTP em 2020.

O escritor recebeu a Bolsa Jovens Criadores de Literatura 2019 e uma menção-honrosa do Prémio Literário José Luís Peixoto 2020. Maria Teresa Meireles é professora e investigadora na área da Literatura Oral e Tradicional, tem mestrado em Literatura Medieval e doutoramento em Literatura Oral e Tradicional.

Foi consultora para as “Palavras Andarilhas”, de Beja, diretora da coleção “Redes e Enredos” (editora Apenas), membro do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (Universidade Nova de Lisboa), Membro do IBBY (International Board on Books for Young People).

Maria Teresa Meireles é autora de várias obras, manteve uma crónica semanal – “Dicionário Íntimo” – no jornal Semmais (Setúbal), e recebeu uma menção honrosa no Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca 2020.

O Prémio Literário Alves Redol, instituído pela Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, tem como objetivo promover e incentivar a criação literária, prestando também homenagem ao romancista Alves Redol, natural daquele concelho.

O vencedor no género Romance recebe um prémio no valor de 7.500 euros, ao passo que o vencedor na categoria de Conto recebe 2.500 euros. O júri desta edição foi composto pela escritora Ana Cristina Silva, o professor e ensaísta Manuel Amador Frias Martins, representante da Associação Portuguesa de Críticos Literários, e Isabel Santos, representante da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar no dia 23 de abril, pelas 18:30, na Fábrica das Palavras em Vila Franca de Xira, numa iniciativa integrada nas comemorações do Dia Mundial do Livro e do Autor.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta