Faixa Atual

Título

Artista

Background

Ventos do Deserto “sopram” na baixa de Coimbra

Escrito por em 10/03/2022

A iniciativa “Ventos do Deserto” chega, no sábado, a quatro espaços da baixa de Coimbra e, do passado para o presente, apresenta uma sequência de narrativas cantadas, contadas e dançadas, revelou hoje a autora do projeto.

“Sou contadora de histórias e bailarina de dança Oriental e, com o músico Alex Lima, vamos deslocar-nos, das 10:30 às 12:00, da Praça 8 de Maio ao Largo do Poço, passando pela Praça do Comércio e também aqui [Rua Adelino Veiga]”, disse Sofia Souto Moniz autora do projeto “Ventos do Deserto”.

Durante a apresentação da iniciativa, que está inserida na programação da XXIV Semana Cultural da Universidade de Coimbra, Sofia Souto Moniz explicou que para cada um dos espaços da baixa de Coimbra está prevista uma performance diferente.

“O objetivo é recuperar a tradição das narrativas com ajuda de narrativas de inspiração árabe ou inspiração do Oriente Extremo, mas todas elas têm de alguma forma a ver com o nosso país. A ideia central é o tempo, trazer o passado para o presente”, destacou.

De acordo com a autora deste projeto, esta é uma forma de “dinamizar, dar cor e vida à Baixa” de Coimbra, através da dança oriental, que “visualmente é muito vistosa”. “Quando a Reitoria propôs, para este ano, o ‘Tempo’, como tema, para nós foi uma maravilha, pois as histórias estão muito relacionadas com o tempo, coisas que vêm do passado até agora e que se não as tornarmos a contar, elas perdem-se”, acrescentou.

Nesta ocasião, a presidente da Agência para a Promoção da Baixa de Coimbra, Assunção Ataíde, congratulou-se por continuar a trabalhar, em conjunto, para potenciar o centro urbano, que “é muito bonito, mas que tem sido um bocadinho esquecido por todos”.

“Mas, vamos avançar com imensas atividades e o facto de termos a Universidade connosco é muito estimulante”, apontou. A conferência de imprensa de apresentação da iniciativa, que decorreu ao início da manhã nas Caves do Conde, contou ainda com a presença de Teresa Batista, em representação do vice-reitor da Universidade de Coimbra.

“O nosso desejo é o de que a Semana Cultural não se restrinja ao espaço da Universidade, mas que se propague pela cidade e tenha eco em toda a comunidade”, frisou. A organização informou ainda que, caso as condições meteorológicas sejam adversas, o evento será adiado para o sábado seguinte. No entanto, o dia 12 de março será assinalado com “um apontamento ‘indoor’, divulgado através das redes sociais.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta