Faixa Atual

Título

Artista


TNSJ repõe “À Espera de Godot” por Gabór Tompa

Escrito por em 06/12/2021

O palco do Teatro Nacional São João, no Porto, vai receber, entre dia 10 e 19, a peça “À Espera de Godot”, do encenador romeno Gábor Tompa, que em março transmitiu ‘online’.

A instituição lançou um desafio ao encenador multipremiado Gábor Tompa, que revisitou o clássico de Samuel Beckett “como um maestro que recria, com músicos diferentes, uma estrutura musical de uma assombrosa precisão”.

Em março, o encenador romeno disse à Lusa que o “teatro não faz sentido” sem o encontro dos atores com o público.

Em declarações à agência Lusa na altura, o encenador multipremiado que revisita o clássico de Beckett afirmou que a peça – semelhante a uma “partitura musical” – necessita de precisão e esperança: fatores “inseparáveis” no teatro.

“De certa forma esta peça é como uma partitura musical, necessita de precisão e o seu alcance, com ou sem público, deve ser muito preciso. O texto é brilhante e esta peça precisa de ‘feedback’, precisa de energia. O teatro é essencialmente o encontro entre o público e os atores. Sem esse encontro, o teatro não faz grande sentido”, confessou.

Gábor Tompa afirmou que, à semelhança da peça, que em palco retrata a “solidariedade, amizade e responsabilidade”, também o mundo tem de ter “esperança de salvação” e acreditar que vai conseguir superar os efeitos e angústia que emergem também da pandemia.

“Todos estamos à espera de algo”, disse, parafraseando a tragicomédia de Samuel Beckett onde “nada acontece duas vezes”.

Comparando a atual situação social, provocada pela pandemia, com a dos dois personagens da peça – Estragon e Vladimir – que “perderam tudo o que era material e apenas lhes resta a esperança”, o encenador afirmou ser também preciso “continuar a lutar”, especialmente os trabalhadores do teatro e da cultura.

“A pandemia vai deixar marcas, não apenas nos profissionais do setor, mas na cultura das pessoas. As pessoas precisam definitivamente do teatro. Em muitos momentos da história da humanidade, o teatro foi esquecido e considerado imoral por aqueles que estavam no poder e isso não pode voltar a acontecer pois pode tornar-se perigoso para o teatro”, salientou o atual presidente da União de Teatros da Europa (UTE).

A peça junta atores que fazem parte do elenco “quase” residente do TNSJ.

A 07 de março último, o TNSJ assinalou simbolicamente o fim do centenário do teatro, mas as comemorações continuaram até ao fim de 2021 com uma exposição, um colóquio internacional e alguns volumes dos Cadernos do Centenário.

“À Espera de Godot” tem récitas de quarta-feira a sábado, às 19:00, e, ao domingo, às 16:00.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta