“Teerão” vence Emmy Internacionais

Escrito por em 23/11/2021

A produção israelita “Teerão” foi a grande vencedora da 49.ª edição dos Emmy Internacionais, numa cerimónia dominada pelo Reino Unido e em que Portugal perdeu para a China na categoria Telenovela.

A telenovela “Quer o Destino”, produzida pela Plural Entertainment Portugal e emitida pela TVI em 2020, foi nomeada na categoria de Telenovela, mas perdeu para a chinesa “The Song Of Glory”. Os prémios que reconhecem programas de televisão produzidos fora dos Estados Unidos, e que se realizou em Nova Iorque, foram marcados pela diversidade, com 44 nomeados em 11 categorias de 24 países.

Um dos sinais da diversidade já tinha sido dado: pela primeira vez em 49 anos dos prémios, por exemplo, o Egito esteve entre os nomeados, graças ao papel da atriz Menna Shalay em “Every Week Has a Friday”.

Uma produção israelita, “Teerão”, uma série que gira à volta de um agente da agência de inteligência israelita Mossad infiltrado no Irão, ganhou o prémio de Melhor Drama, o mais cobiçado da noite.

“Não se trata apenas de uma série de espionagem, trata-se também de compreender o humano por detrás do seu inimigo”, disse a criadora e produtora do programa, Dana Eden, após receber a distinção, revelando que para ela o programa representa a esperança num futuro em que “os iranianos e os israelitas podem, a dada altura, trabalhar juntos como amigos e não como inimigos”.

A quarta temporada do programa francês “Call My Agent” foi premiada com a melhor comédia numa cerimónia que viu os Emmys Internacionais regressarem ao formato presencial depois versão virtual no ano passado.

O prémio de melhor atriz foi para a britânica Hayley Squires, estrela de “Adult Material”, enquanto o prémio de melhor ator também foi para David Tennant, pelo seu papel em “Des”. Os países mais premiados foram o Reino Unido e a França, com três e duas distinções respetivamente, enquanto os restantes foram distribuídos entre a Nova Zelândia, Tailândia, Noruega, China e Israel.

O peso que os Emmys Internacionais estão a ganhar, impulsionados pelos “blockbusters” em plataformas de entretenimento como “A Casa de Papel” (Espanha) ou “The Squid Games” (Coreia do Sul), foi evidente na presença dos artistas que apresentaram os prémios.

Entre eles estavam o ator britânico Brian Cox, o canadiano-norte-americano Joshua Jackson e a atriz e modelo norte-americana Vanessa Williams e o nigeriano-britânico Chiké Okonkwo. O Melhor Documentário foi para “Hope Frozen: A Quest to Live Twice” (Tailândia), o Melhor Programa Artístico foi para “Kubrick By Kubrick” (França), o melhor Programa de Entretenimento Sem Guião foi para “The Masked Singer” (Reino Unido), e a Melhor Minissérie para “Atlantic Crossing” (Noruega).


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]