Faixa Atual

Título

Artista


II Festival Regards Croisés leva dança e ‘workshops’ a Gaia

Escrito por em 08/11/2021

A segunda edição portuguesa do festival transfronteiriço Regards Croisés regressa esta sexta-feira a Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto, e promete quatro espetáculos de dança contemporânea, dois ensaios abertos e três ‘workshops’ até domingo, dia 14.

Em entrevista jornalista Cecília Malheiro, da Lusa, Joana Castro, diretora artística da Kale Companhia de dança, estrutura organizadora do Regards Croisés Portugal (Pontos de Vista Cruzados), destacou o espetáculo “vinte e um”, uma criação da Kale Companhia de Dança em formato triplo e que celebra a partilha da visão coreográfica de André Mesquita (Portugal), Hélder Seabra (Portugal) e Christine Hassid (França).

“Destaco em primeiro lugar o [espetáculo] da Kale Companhia de dança no dia 14 de novembro, porque realmente inclui em si a vertente transfronteiriça do festival [Portugal, Espanha, França]. Tem bailarinos portugueses e uma coreografia de André Mesquita, o criador português, uma coreografia do Hélder Seabra e Christine Hassid, de França. Estas três peças já foram dançadas na casa mãe do festival, que é em Biarritz (França)”, disse Joana Castro.

O segundo destaque elencado pela organizadora do evento é o espetáculo “Au delà, vu d’ici”, da companhia francesa La Cavale, que explora a relação estreita entre o corpo, o som, o indivíduo e o coletivo, colocando em cena Julie Coutand (conceito e interpretação) e Thomas Sillard (criador sonoro).

“São duas propostas muito diferentes dentro da linguagem da dança contemporânea. É igualmente abrangente, mas este festival pretende mostrar um bocadinho do que é que se faz nesses três países. É um ponto de encontro entre Portugal, Espanha e França e depois acrescem os ‘workshops’ que são dirigidos ao publico sobre o tema de cada espetáculo, os ensaios abertos”, resume Joana Castro.

Na abertura oficial, dia 12, na próxima sexta-feira, no Armazém22, a 12 de novembro, a Kale Companhia de Dança propõe, além de “Au delà, vu d’ici”, o espetáculo “Eldfell” da companhia francesa KOPFKINO, inspirada numa viagem do autor e bailarino Benjamin Coyle ao vulcão homónimo da ilha islandesa Vestmannaeyjar.

A 13 de novembro, sábado, a Companhia do País Basco Amaia Elizarán apresenta a peça “MAR”, espetáculo de dança contemporânea com Amaia Elizaran, Leire Otamendi, Xabier Zeberio na interpretação e Xabier Zeberio em nyckelharpa/violino.

O Armazém22 e o Auditório Municipal de Gaia vão acolher espetáculos de dança contemporânea e ‘workshops’, bem como os momentos de ensaio aberto e discussão entre artistas e o público. Regards Croisés Portugal é um projeto de cooperação coreográfica para a difusão da dança contemporânea e a promoção de encontros entre o público, artistas e estruturas educativas, segundo a prática de três criadores oriundos de realidades geográficas distintas (Portugal, Espanha, França) com diferentes visões artísticas e culturais.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta