Mákina de Cena estreia peça feita de trechos “roubados”

Escrito por em 08/10/2021

A companhia algarvia Mákina de Cena estreia hoje em Loulé uma peça multimédia e interativa que é uma viagem por trechos assumidamente “roubados” a outros artistas, que irá percorrer o país.

“Tive 1 ideia para 1 dueto” é um convite para que o espectador se deixe “levar numa viagem” com as duas atrizes num espetáculo que “não convida a seguir a história de um princípio ao fim, mas que a sua imaginação viaje”, afirmou à Lusa a diretora artística da peça.

“Queremos que o espectador se deixe levar pelas imagens que vê e pelo que sente e no final do espetáculo diga: ali vocês queriam dizer aquilo? Queremos que haja uma espécie de partilha com o público”, adiantou Carolina Santos.

A também atriz revelou ainda que a peça é feita de uma “sequência de trechos e obras roubadas a outros artistas”, coladas e transformadas pela companhia e na qual o público é “fundamental” para dar sentido ao espetáculo como um todo e onde é também incentivado a participar.

O espetáculo, que irá depois para Lisboa, Coimbra e Serpa, é composto por uma componente de interpretação, outra mais plástica com ’video mapping’, luz e completada com o som, mas vive “verdadeiramente” quando todos os elementos estão em cena.

Carolina Santos assumiu a vontade de trabalhar com a atriz Susana Nunes após terem frequentado o mestrado de Teatro na Universidade de Évora e a oportunidade surgiu quando se cruzou com o texto “Tentativas para matar o amor”, de Marta Figueiredo, onde se podia ler: “A maior parte das frases deste texto não são minhas, li-as em qualquer lado”.

É esse o mote para criar “Tive 1 ideia para 1 dueto”, onde procuraram as suas inspirações, colocando apenas “coisas dos outros” e assumindo esse “roubo e colagem, devidamente identificado”, cabendo às duas atrizes estabelecer o fio condutor e fazer a “colagem do puzzle”.

“As pessoas dizem que se inspiram em ou que foi feito porque se lembraram daquela cena. Nós assumimos a 300% que estamos a reproduzir a tal cena, daquele grupo, naquele trecho, naquele momento do espetáculo”, realçou.

Antes da cena seguinte reproduzem um vídeo como sugestão para visualização “à semelhança do que já acontece no Youtube”, criando com o público um sentimento de “sessão conjunta de pesquisa ‘online’” onde se vai aceitando o que algoritmo lhes vai sugerindo.

O processo criativo decorreu durante o período de confinamento imposto para combater a pandemia de covid-19, onde elaboraram uma “lista extensíssima” de trechos de espetáculos, mas que “teriam de estar facilmente disponíveis” nas redes sociais e de identificação “muito imediata” para o espectador.

Quando iniciaram o trabalho físico fizeram uma seleção e elaboraram uma “viagem narrativa não linear” com a criação de “subtextos” para cada uma das cenas, atualizando alguns temas, para que não fosse só um espetáculo de ‘sketches’, notou a diretora artística.

Para isso usaram a estrutura criada por Marta Figueiredo no texto que inspirou o espetáculo e procuraram “encontrar o sentido do título dos vários capítulos” com a mensagem que queriam passar, sempre inspirada na “atualidade” de títulos de jornal ou artigos de opinião.

“Tive 1 ideia para 1 dueto” é uma cocriação de Carolina Santos, Susana Nunes, e Pedro Filipe Mendes, e estreia-se hoje às 21:00 no Cineteatro Louletano, para maiores de 16 anos, tendo o bilhete um custo de cinco euros. A entrada é gratuita para todas as pessoas com necessidades especiais e para portadores do cartão sénior da Câmara Municipal de Loulé.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]