“Curtas” portuguesas no Festival Ibérico de Cinema

Escrito por em 14/07/2021

Quatro curtas-metragens de realizadores portugueses vão estar em competição no 27.º Festival Ibérico de Cinema (FIC), em Espanha, contando esta iniciativa com um total de 30 obras a concurso, divulgou hoje a delegação da Extremadura, em Lisboa.

“Nem mesmo a pandemia pode deter o trabalho criativo do mundo da curta-metragem, algo que não esperávamos dadas as dificuldades de filmagem no ano passado”, congratulou-se o diretor da mostra, Alejandro Pachón, citado num comunicado de imprensa.

O 27.º Festival de Cinema Ibérico terá lugar de 20 a 24 deste mês, nas localidades de Badajoz, Olivença e São Vicente de Alcântara. “Genesis 22”, de Edgar Feldman, “Her name is Carla”, de Catia Biscaia, “O nosso reino”, de Luís Costa, e a curta-metragem de animação “The Monkey”, uma coprodução luso-espanhola, dirigida por Xosé Zapata e Lorenzo Degl’Innocenti, são os trabalhos que representam Portugal na secção competitiva do festival.

O comité de seleção destaca a qualidade das obras, assim como a variedade de temas e géneros, considerando que os assuntos sociais têm uma forte presença, e que as comédias e as histórias de amor predominam.

Entre as curtas-metragens selecionadas, há ainda vários filmes de animação e um feito com a ajuda de ‘drones’. As 30 curtas-metragens a concurso estão dividas por seções, estando 19 obras na seção oficial, seis na seção de Curtas da Extremadura e cinco no Festival dos Miúdos, área dedicada ao público infantil e juvenil.

A seleção das 30 ‘curtas’ a concurso nesta 27.ª edição partiu de um total de 495 trabalhos, 23 deles de realizadores portugueses, segundo a organização. O filme luso-britânico “Listen”, da realizadora e atriz Ana Rocha de Sousa, será projetado na gala inaugural do Festival Ibérico de Cinema de Badajoz 2021.

A coprodução luso-britânica, que ainda não foi lançada comercialmente em Espanha, aborda um drama social das adoções forçadas em Inglaterra, tendo ganhado vários prémios no Festival de Veneza 2020, bem como outros quatro prémios fora da secção oficial.

A obra também tem oito nomeações para os Prémios Sophia, concedidos pela Academia Portuguesa do Cinema, que serão entregues no dia 19 de setembro, no Estoril. Na anterior edição do FIC, as curtas-metragens portuguesas “Sagrada Família”, de Margarida Lucas, e “Tio Tomás, a contabilidade dos dias”, de Regina Pessoa, receberam o Prémio do Público de Badajoz e o prémio à Melhor Música Original, respetivamente.

Marcado como

Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]