JOP estagia na Alemanha e estreia obra de João Carlos Pinto

Escrito por em 23/06/2021

A Jovem Orquestra Portuguesa (JOP), sob a direção do maestro Pedro Carneiro, estreia, mundialmente, em agosto, em Berlim, a peça do compositor João Carlos Pinto “Toys Are Us” (2021).

A obra resulta de uma encomenda da JOP e tem antestreia prevista para Lisboa, no Centro Cultural de Belém, na próxima semana, no dia 30 de junho, num concerto intitulado “Exílio”.

Na Alemanha, a JOP vai participar no Encontro de Verão que se realiza de 18 de julho a 3 de agosto. A encerrar o estágio, a JOP faz parte do cartaz do Festival Young Euro Classic, tocando no dia 3 de agosto, às 20:00 locais, no Konzerthaus, sob a direção de Pedro Carneiro.

Além da peça do jovem compositor João Carlos Pinto, o programa do concerto, com encenação de Teresa Simas, inclui ainda a Sinfonia n.º 49 em fá menor, “La Passione”, de Joseph Haydn, e a Sinfonia n.º 4 em ré menor, (versão 1841), de Robert Schumann.

Antes de partir para a Alemanha, e além de Lisboa, a JOP vai apresenta-se hoje no Cine-Teatro Garrett, no âmbito do 43.º Festival Internacional de Música da Póvoa de Varzim. Esta não é a primeira encomenda da JOP a um compositor português. Antes encomendara, a Pedro Lima Soares, “Once Again – Eternal Goodbyes”, que também estreou.

João Carlos Pinto nasceu em 1998, em Braga, estudou Piano e Composição no Conservatório Gulbenkian desta cidade, e licenciou-se em Música/Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa.

Participou em ‘masterclasses’ e ‘workshops’ com, entre outros, o Ensemble Recherche, Tristan Murail, Thomas Adès, John Chowning, Rebecca Saunders, João Pedro Oliveira, Panayiotis Kokoras, Stefano Gervasoni, Stefan Prins, Carola Bauckholt e Ake Parmerud.

A sua música tem sido tocada, entre outros locais, no Arts Incubator, em Seul, no Center for Experimental Music and Intermedia Circles, no Texas, nos Estados Unidos, no Internationale Gesellschaft für Neue Musik, em Verba, e em salas nacionais designadamente a Casa da Música, e no Coliseu, no Porto, no Auditório da Fundação Gulbenkian e no Teatro Nacional de São Carlos, no O’culto da Ajuda e no Teatro S. Luiz, em Lisboa.

Além da JOP, João Carlos Pinto tem recebido encomendas da UNESCO-Braga Media Arts, Gaudeamus, Casa da Música, RTP /Antena 2, Centro Cultural de Belém, Ensemble neoNrs ad hoc e Arte no Tempo. Em 2019, João Carlos Pinto foi o Jovem Compositor Associado dos Estúdios Victor Córdon, em parceria com Teatro Nacional S. Carlos e Companhia Nacional de Bailado.

A Jovem Orquestra Portuguesa é um projeto da Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP), iniciado em 2010. A JOP destina-se a músicos entre os 14 e os 24 anos, que trabalham com Carneiro, músicos da OCP e ensaiadores convidados, nacionais e estrangeiros.

A JOP faz parte da Federação Europeia de Jovens Orquestras Nacionais, desde 2013. A JOP tem efetuado diversos intercâmbios de músicos com orquestras congéneres, da Áustria, Espanha, Eslováquia, França, Itália, Irlanda, Roménia e Finlândia.

Internacionalmente estreou-se em 2014, no Festival de Kassel, na Alemanha, tendo apresentado a estreia internacional de “Greetings”, de João Madureira. Em 2019, participou no Festival ManiFeste do Instituto de Investigação de Música Eletroacústica IRCAM/Centre Pompidou, em Paris, tendo trabalhado com Raphaël Cendo e o Ensemble NIKEL.

Também em 2019, a orquestra foi selecionada para o programa de residências artísticas de Criação de Ópera “Bijloke Summer Academy”, em Gent, na Bélgica. No ano passado, a JOP venceu dois prémios que resultaram em encomendas pela parte da UNESCO/Braga Media Arts e ZKM, uma peça audiovisual em colaboração com Sarah Degenhardt e pelo Ensemble neoN + ars ad hoc.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]