“Chicago” abre temporada 2021-22 no teatro da Trindade

Escrito por em 22/06/2021

O regresso do musical “Chicago” à sala principal do Teatro da Trindade Inatel, em Lisboa, assinala a abertura da sua temporada 2021-2022, a 01 de setembro, anunciou hoje esta casa de espetáculos.

Depois de 197 apresentações na sala Carmen Dolores, e de ter sido visto por mais de 65.000 espectadores, “Chicago” regressa àquela sala com duas novas intérpretes, Inês Herédia e Vanessa Silva.

Este musical ficará em cena até 30 de dezembro, com representações de quarta-feira a sábado, às 21:00, e, aos domingos, às 16:30. A nova estreia na sala Carmen Dolores ocorrerá a 10 de fevereiro de 2022. Trata-se da comédia “O amor é tão simples”, de Noel Coward, numa coprodução entre o Teatro da Trindade e a Força de Produção, encenada e protagonizada por Diogo Infante.

A peça “Present Laughter”, no original, foi escrita em 1939 e é considerada como a mais autobiográfica do autor. Estreou-se em 1942 e foi interpretada pelo autor. A interpretar vão estar Ana Brito e Cunha, Cristóvão Campos, Flávio Gil, Gabriela Barros, João Didelet, Maria Henrique, Miguel Raposo, Patrícia Tavares e Rita Salema.

A 09 de setembro, na sala Estúdio, estreia-se “Hora de visita”, um texto de Pedro Goulão que venceu a 2.ª edição do prémio Miguel Rovisco – Novos Textos Teatrais, uma iniciativa anual do Teatro da Trindade, para promover a escrita de textos dramatúrgicos originais em língua portuguesa.

“Hora de visita”, uma comédia negra sobre o reencontro entre uma filha e um pai desavindos há muitos anos, tem encenação de João Reis e interpretação de Pedro Lacerda e Mafalda Lencastre. A 11 de novembro, também na sala Estúdio, estrear-se-á “Blackbird”, de David Harrower, numa coprodução do Teatro do Inatel com a Palco 13.

O texto fala de Una, de 27 anos, que visita Ray, de 55, no local de trabalho deste, dando ambos início a um diálogo desenfreado e discordante. Desconfortáveis na presença um do outro, percebe-se depois que as personagens falavam de uma relação passado há 15 anos que levou Ray à prisão e que os perseguiu até ao dia do reencontro.

A encenação da peça é de Marco Medeiros e conta com interpretações de Filipa Areosa e Rúben Gomes. A 03 de fevereiro de 2022, estreia-se, na sala Estúdio, “A Iguana Viúva”, o texto vencedor da 3.ª Edição do Prémio Miguel Rovisco.

De autoria de Raquel Serejo Martins, esta peça, uma história de amor entre duas mulheres, terá encenação de Cláudia Lucas Chéu e interpretação de Anabela Moreira e Jessica Athayde. Entretanto, já está disponível no ‘site’ do Teatro da Trindade, na Internet, o regulamento para a 4.ª edição do prémio Miguel Rovisco.

A programação do Trindade integra ainda o Ciclo Mundos, um programa anual promovido pela Fundação Inatel em parceria com o Festival Músicas do Mundo de Sines. A 28 de setembro próximo, no palco do Trindade, vai estar o agrupamento HUUN HUUR TU, segundo o teatro “um dos grupos mais reconhecidos das músicas do mundo, pioneiro na divulgação do canto diafónico khöömei e exímios no canto gutural e nos instrumentos tradicionais”.

Em 26 de outubro, os cabo-verdianos Jon Luz & Maria Alice levarão a morna ao palco do Trindade, e, em 30 de novembro, será a vez dos Steam Down, um coletivo artístico e comunidade musical, que se tornou rapidamente conhecido na cena musical do novo jazz londrino.

Em 22 de fevereiro de 2022, o Ciclo Mundos mobiliza La Chica, uma franco-venezuelana, que propõe uma colagem de texturas sonoras, ligadas à sua herança tradicional e às influências modernas. A 29 de março do próximo ano, será a vez de os Lavoisier atuarem no Trindade.

Num pequeno vídeo sobre a apresentação da temporada, o diretor artístico do Teatro da Trindade, Diogo Infante, sublinha que, “nestes tempos estranhos em que vivemos”, é necessário “dar ainda mais valor à liberdade, aos pequenos gestos, ao essencial”. Ou seja, “ao outro”, conclui.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]