Violência doméstica no teatro de Luciene Balbino em Lisboa

Escrito por em 16/06/2021

As peças “Relação abusiva” e “Mulheres à beira do precipício”, da dramaturga brasileira Luciene Balbino, estão em cena no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, em Lisboa, até 15 e 18 de julho, respetivamente.

“Relação abusiva” é um monólogo que narra a história de Maria das Dores, uma mulher que desde a infância sofreu uma educação materna baseada na complacência e aceitação do destino. Na escola, Maria das Dores foi vítima de abusos por parte de colegas e, em mulher, continuou a ser violentada nos vários relacionamentos afetivos.

Já “Mulheres à beira do precipício” gira em torno de quatro mulheres que se encontram por acaso na sala de espera de um hospital. Enquanto aguardam pelas mamografias que vão realizar, o enfermeiro Adroaldo interage com elas, tornando a espera mais leve.

Antes de escrever estas peças, Luciene Balbino observou, conversou e apoiou mulheres com relacionamentos complexos e tóxicos, ao longo de alguns anos. Estas experiências e dores sentidas, postas agora em palco, chamam a atenção para a agressão contra as mulheres, pretendendo funcionar como uma chamada de atenção para a sociedade relativamente à violência doméstica, refere a autora dos textos.

“Estamos a falar de seres humanos e não de género. Diariamente muitas pessoas sentem na pele as dores físicas e psicológicas da violência e muitas, por razões diversas, escondem-na seja por medo, seja por falta de consciência”, referiu Luciene Balbino, acrescentando que “outras há que conhecem quem vive este pesadelo, mas nada fazem ora por receio de retaliações ora por impotência.”

“A mensagem principal é que podemos e devemos sempre ajudar quem vive estas relações nocivas e abusivas, pois ouvir o outro pode ser vital, e abraçá-lo pode ser a saída de emergência que tantos procuram, até porque o crime de violência doméstica é público e temos todos dever moral de o denunciar”, sublinhou Luciene Balbino.

“Mulheres à beira do Precipício” é uma comédia em que as personagens expressam loucura e inocência comuns. “São casos de mulheres reais, podiam ser nossas vizinhas, amigas ou familiares, que desabafam as suas angústias, confissões, alegrias e dilemas. A uni-las há uma poderosa e imprevisível amizade, que vai cimentar para sempre a sua condição do empoderamento feminino”, frisou a autora.

O objetivo de Luciene Balbino é mostrar ao público que nem tudo o que parece é, porque todos nós somos seres complexos e a nossa realidade pode viver dentro de cada um de nós e de várias pessoas em simultâneo.

“Relação Abusiva” estará em cena às quartas e quintas-feiras até 15 de julho, às 21:00. “Mulheres à beira do precipício” está em exibição até 18 de julho, com sessões às sextas-feiras e sábados, às 21:00, e, aos domingos, às 18:00. Não haverá sessões dia 18 de junho, nem nos dias 02, 10, 11, e 17 de julho.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]