Raquel Salgueiro vence Prémio de Literatura Infantil

Escrito por em 06/05/2021

A livreira e autora Raquel Salgueiro venceu a oitava edição do Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce, na categoria de texto, com o conto “Assim como tu”.

A história “aborda temas do quotidiano da criança e da construção da identidade. O texto prima pela elegância da linguagem e apresenta uma estrutura adequada à história”, afirmou o escritor Afonso Cruz em representação do júri do prémio, citado em comunicado.

O Prémio de Literatura Infantil, criado em 2014 por aquela empresa de retalho, tem um valor monetário de 50 mil euros, a repartir em partes iguais pelos autores do texto e da ilustração. É considerado o prémio literário com o valor mais elevado em Portugal, na área do livro para a infância.

Apurado o vencedor do texto, inicia-se agora a fase do concurso na categoria de ilustração, para escolher quem irá ilustrar este conto infantil. Raquel Salgueiro, autora de “Assim como tu”, tem 48 anos, vive em Castelo de Vide e é livreira e programadora do projeto cultural Cabeçudos, de promoção do livro e da leitura.

Na nota de imprensa sobre o prémio, Raquel Salgueiro explica se inspirou na natureza da paisagem alentejana para escrever este conto para os mais novos. “Quis escrever uma história simples, sobre pessoas, que fosse transversal e na qual todos pudessem rever-se. Enquanto seres humanos, temos características e passamos por experiências comuns, por isso, encontramos pontos de contacto com a vida de Antónia, a personagem principal”, afirmou.

Nesta edição, que contou com mais de dois mil textos submetidos a concurso, o júri atribuiu ainda uma menção honrosa ao conto “O Senhor Alberto”, de Mário Augusto Santos. O júri integrou Afonso Cruz, David Machado, Sara Rodi, Violante Magalhães e Sara Miranda.

A fase de candidaturas para autores submeterem ilustrações ao conto de Raquel Salgueiro decorrerá entre 13 de maio e 1 de julho. O livro ilustrado, que resulta do trabalho entre os dois vencedores – texto e ilustração – é editado habitualmente no outono.

De acordo com o regulamento, o prémio destina-se a obras inéditas em língua portuguesa, dirigidas a leitores entre os 6 e os 12 anos. Em edições anteriores, o prémio permitiu a publicação de, entre outros, “Leituras e papas de aveia”, de António Martins e Duarte Carolino, “O protesto do lobo mau”, de Maria Leitão e Pedro Velho, e “O narciso com pelos no nariz”, de Andreia Pereira e Ana Granado.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]