Prémios da APE abrem candidaturas em março

Escrito por em 19/02/2021

As candidaturas para o Grande Prémio de Poesia e o Grande Prémio de Crónica, da Associação Portuguesa de Escritores (APE), que abrangem obras publicadas durante o ano 2020, vão estar abertas durante o mês de março, anunciou a associação.

O Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho tem o valor de 12,5 mil euros, o patrocínio da Câmara Municipal de Loures, e destina-se a galardoar “um livro em português e de autor português, publicado em 1.ª edição”, durante o ano passado.

No caso do Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, no valor de 12 mil euros, a APE conta com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, e visa igualmente uma obra de “autor português, publicada em livro e em primeira edição”, em 2020.

Segundo o regulamento, a entrega do Grande Prémio de Crónica está apontada para as comemorações do Dia do Município de Loulé, que este ano se assinala a 13 de maio, embora “a realização da sessão presencial [esteja] dependente do evoluir da situação pandémica”. No caso do Grande Prémio de Poesia, a entrega será feita “em data adequada, a definir”.

Luís Filipe Castro Mendes (“Poesia Reunida”), Gastão Cruz (“Existência”), Helder Moura Pereira (“Golpe de Teatro”), Armando Silva Carvalho (“A sombra do mar”), Luís Quintais (“Arrancar Penas a um Canto do Cisne”), Daniel Jonas (“Nós”) estão entre os vencedores recentes do Grande Prémio de Poesia da APE, que, em edições anteriores, também teve patrocínios das câmaras de Amarante (Grande Prémio de Poesia Teixeira da Pascoaes) e de Ponte de Lima (Grande Prémio de Poesia António Feijó), além da Câmara de Loures.

Mário de Carvalho (“O que eu ouvi na barrica das maçãs”), Pedro Mexia (“Lá Fora”), Mário Cláudio (“A Alma Vagueante”), Rui Cardoso Martins (“Levante-se o Réu”), José Tolentino Mendonça (“Que coisa são as nuvens”) são os vencedores do Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários da APE, que conta com esta designação, e com o patrocínio da Câmara de Loulé, desde a edição de 2015.

Sob a designação de Grande Prémio de Crónica, instituído na década de 1990, foram distinguidos autores como Ilse Losa, Maria Judite de Carvalho, Manuel Poppe, Álvaro Guerra, Mário Cláudio, Baptista-Bastos, José Cutileiro, João Barrento, J. Rentes de Carvalho e Ricardo Araújo Pereira. As câmaras de Beja e de Sintra patrocinaram edições anteriores do prémio.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]