Gerador lança iniciativa “Sobressalto”

Escrito por em 11/02/2021

A criação de um gabinete técnico que passe a apoiar a comunidade cultural “de forma gratuita ou muito perto disso” no âmbito da sustentabilidade ambiental é um dos objetivos que a plataforma Gerador quer atingir no primeiro semestre.

A informação foi avançada à jornalista Cláudia Páscoa, da Lusa, pelo presidente da Gerador, Tiago Sigorelho, que acrescentou que esse gabinete técnico estará disponível para ser contactado por qualquer instituição que pretenda fazer uma transição para maior sustentabilidade e não saiba como o fazer.

“Se um teatro em Viseu quisesse fazer esta transição, mas não soubesse a quem recorrer, um técnico deixava um conjunto de recomendações e faríamos isso de uma forma gratuita ou muito perto disso”, exemplificou.

A ideia faz parte do projeto “Sobressalto”, uma iniciativa que surge da vontade do Gerador de contribuir para que o setor da cultura apoie o esforço contra as alterações climáticas, “um tema que estaria na berra para ser debatido não fosse ter sido ultrapassado pelo da pandemia de covid-19”, disse Tiago Sigorelho.

O facto de o Gerador ter 17 colaboradores, a maioria com idades abaixo dos 30 anos, faz com que questões como as alterações climáticas e a sustentabilidade sejam “temas muito caros cara eles”, frisou.

Por isso, resolveram juntar-se à associação Zero para, em conjunto, encontrarem “uma série de ferramentas que já estão disponíveis no site da Gerador – https://gerador.eu/sobressalto/ -, uma espécie de ‘manual de boas práticas’ que permite aos agentes culturais fazerem essa transição verde”.

Para Tiago Sigorelho, a ideia surgiu porque é “cara a todos” e porque havia “um vazio na relação entre a cultura e o ambiente”. Daí que o “Sobressalto” vá permitir, por exemplo, que pintores possam conhecer quais as tintas mais amigas do ambiente e que através do cartão de sócio Gerador possam adquiri-las com descontos.

“’Sobressalto’ é um projeto que queremos que fique durante anos”, referiu o responsável da plataforma, acrescentando que irão também apostar na formação através de cursos e oficinas dedicados à sustentabilidade.

“Na perspetiva jornalística comprometemo-nos a fazer reportagens sobre a sustentabilidade ligada à cultura ou não, assim como a edição da revista de sexta-feira passada foi toda impressa em papel reciclado e para a edição de maio estamos já a pensar em distribuí-la de modo a que a pegada ambiental seja menor”, concluiu Tiago Sigorelho.


Opnião dos Leitores

Leave a Reply


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]