Mostra Transborda exibe “Brasil Sequestrado”

Written by on 15/01/2021

“Brasil Sequestrado”, um projeto em torno da situação de crise cultural, social e política do Brasil, vai ser exibido este mês, em ‘streaming’, no âmbito da Transborda – 1.ª Mostra de Artes Performativas de Almada.

De acordo com o comunicado hoje divulgado pela organização, o projeto “Brasil Sequestrado” é uma das iniciativas que a Transborda mantém em programa, assim como algumas conversas online com artistas participantes, enquanto as restantes serão reagendadas em breve, devido ao encerramento dos espaços culturais, no contexto do combate à pandemia.

O projeto “Brasil Sequestrado”, que procura dar visibilidade e gerar contextos de debate sobre a atualidade, apoia a produção e a circulação internacional de obras de artistas brasileiros, tem curadoria da espanhola Isabel Ferreira e do brasileiro Eduardo Bonito, e congrega atuações concebidas para o formato digital, especificamente para a Transborda.

“Brasil Sequestrado” e uma conversa com a artista Vania Vaneau e o crítico Ruy Filho serão transmitidos em streaming nos próximos dias 24 e 31. No último dia de janeiro, também poderá ser acompanhada uma conversa com Ruy Filho e os coreógrafos João Fiadeiro e Carolina Campos, coautores de “Ça va exploser”.

“Brasil Sequestrado” traduz-se num programa composto por ‘vídeo performances’ e ‘palestras performativas’ de artistas e ativistas da cultura contemporânea brasileira, e conta com a participação de Alice Ripoll & Cia REC, Calixto Neto, Princesa Ricardo Marinelli, Zahy Guajajara e Wellington Gadelha.

Criado inicialmente para o Festival Grec de Barcelona, em julho de 2020, foi apresentado em agosto e setembro em vários outros contextos da Europa, nomeadamente na Suíça, nos festivais de la Cité de Lausanne e La Batie, de Genebra, assim como no Theater Spektakel, de Zurique, e levado igualmente à Alemanha, ao “Tanz im August”, de Berlim, e ao Festival Iberoamericano de Cádis, em Espanha. Para a Transborda, teve nova conceção.

A 1.ª Mostra de Artes Performativas de Almada, esteve anunciada para os dias 23 de janeiro a 06 de fevereiro, com sessões ‘online’ e atuações presenciais. Desse programa, só as sessões online se mantêm.

Para as sessões presenciais, estavam previstas cinco obras de oito criadores: “Ça va exploser”, de Carolina Campos e João Fiadeiro, a história de uma crise; “O Que Não Acontece”, de Sofia Dias e Vítor Roriz, sobre gestos e palavras em fricção; “Blanc”, de Vania Vaneau, inspirado em rituais de transe afro-brasileiros e do movimento antropofágico para investigar a exposição do corpo ao fluxo de culturas diversas; “Homem Torto” de Eduardo Fukushima, sobre o corpo múltiplo em constante mutação; e “Coin Operated” de Jonas & Lander, num diálogo direto com o público.

O programa propunha, igualmente, aproximações aos processos criativos dos artistas convidados, com oficinas e conversas mediadas por Ruy Filho, diretor da revista Antro Positivo. As sessões ‘online’ podem ser acompanhadas no Facebook da mostra, no endereço https://www.facebook.com/TRANSBORDAportugal.

A conversa com a artista Vaia Vaneau e o crítico Ruy Filho é transmitida, no dia 24, entre as 17:00 e as 20:00. O encontro com João Fiadeiro, Carolina Campos e Ruy Filho está marcado para dia 31, a partir das 17:00. O streaming de “Brasil Sequestrado” ocorrerá nos dias 24 e 31, sempre entre as 18:00 e as 20:00.

Fotografia de capa por Filipe Ferreira.


Reader's opinions

Leave a Reply


[There are no radio stations in the database]