Dia: 10/12/2020

O produtor português Luís Urbano venceu o prémio de coprodução Eurimages, atribuído por este fundo europeu e pela Academia Europeia de Cinema, no âmbito dos Prémios Europeus de Cinema.

O filme “Avó dezanove e o segredo do soviético”, do moçambicano João Ribeiro, que adapta uma história do escritor angolano Ondjaki, está nomeado para cinco categorias dos Prémios Kisima de Música e Cinema de África, atribuídos no Quénia.

O Museu de Fotografia da Madeira — Atelier Vicente’s, o único do país dedicado à fotografia, foi hoje distinguido com o Prémio Museu do Ano 2020, atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM), anunciou esta organização, em Lisboa.

O historiador de arte e académico António Filipe Pimentel vai dirigir o Museu Calouste Gulbenkian, e o curador e crítico de arte, francês, Benjamin Weil vai dirigir o Centro de Arte Moderna (CAM), anunciou a Fundação Calouste Gulbenkian.

O projeto editorial Akiara Books, fundado em Barcelona pela editora portuguesa Inês Castel-Branco, foi distinguido pela Câmara do Livro da Catalunha.

A Casa dos Crivos, em Braga, acolhe até 24 de janeiro uma exposição coletiva de artes plásticas e visuais para ajudar os artistas em tempos de pandemia.

A 11.ª edição do GUIdance – Festival Internacional de Dança Contemporânea vai decorrer de 4 a 13 fevereiro, em Guimarães, apresentando 10 obras, com a dupla Sofia Dias & Vítor Roriz como coreógrafos em destaque.

Um concerto de Aurea abre, em 2021, a programação do teatro Diogo Bernardes, em Ponte de Lima, e um concerto de Páscoa, pelos Moços do Coro, fecha o primeiro trimestre, disse o presidente da Câmara.

Três novas exposições do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, vão confrontar os visitantes, a partir de março, com as consequências do impacto da pegada ecológica humana e as mudanças globais dos últimos cem anos.

Os Caretos de Podence festejam, no sábado, o primeiro aniversário da elevação a Património Imaterial da Humanidade e querem, como prenda, que o Presidente da República mantenha a promessa feita à aldeia transmontana dos coloridos dos mascarados.

Duas amigas, uma brasileira, outra portuguesa, decidiram fazer da carta o meio de comunicação, num ano que teima em ser diferente. Um ano em que não se podem encontrar fisicamente. Nas cartas, como antigamente, fala-se da vida por escrito. O que incomoda ou atormenta, o que faz feliz, indaga-se, mas, principalmente, partilha-se. A próxima ligação direta Rio-Lisboa é feita aqui.

O mais recente romance do premiado escritor espanhol Enrique Vila-Matas, “Esta bruma insensata”, uma reflexão sobre a criação literária e o mundo dos livros, é publicado este mês em Portugal, pela editora Teodolito.


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]