Faixa Atual

Título

Artista

Background

Ban regressam sábado para um concerto no Rivoli

Escrito por em 11/12/2019

João Loureiro, Ana Deus e Rui Fernandes darão um concerto de 30 minutos, no sábado, no Teatro Rivoli, no Porto, em que irão reinterpretar cinco temas conhecidos da banda portuense Ban, da qual os três fizeram parte.

O concerto insere-se no lançamento do livro intitulado “Musonautas, Visões & Avarias: 1960-2010 – 5 Décadas de Inquietação Musical”, que terá lugar nesse dia e naquela sala, às 18:00, obra essa que resulta da exposição homónima que esteve patente na galeria Municipal do Porto, no ano passado, com curadoria de Paulo Vinhas. O lançamento daquela obra inclui outro concerto, este dos Volúpia Mundana, e ambos são de entrada livre.

“Fomos contactados pelo Paulo Vinhas em representação da Câmara Municipal do Porto, que presumo nos tenha escolhido exatamente porque já não fazemos concertos há muito tempo. É para nós uma forma de merecidamente homenagear várias gerações de músicos da nossa cidade”, disse João Loureiro a António Moura da agência de notícias Lusa.

Músico, advogado e anterior presidente do Boavista, João Loureiro acrescentou haver “uma forte relação empática” entre os três antigos membros dos Ban, apesar de se verem pouco. “E percebi o enorme prazer que me deu voltar a cantar com a Ana e a revisitar temas que cantei tantas vezes, mas que já não interpretava há muito”, completou.

As vozes deste concerto único no Rivoli serão do próprio João Loureiro e de Ana Deus, cabendo a Rui Fernandes a parte instrumental, com uma alguma programação. “Quem terá tido mais trabalho foi o Rui, porque fez os arranjos todos”, considerou, aliás, Ana Deus, ouvida também pelo jornalista da Lusa.

Ana Deus contou que recebeu o convite para atuar neste concerto com grande surpresa, revelando que “já não via o João [Loureiro] desde que o Boavista foi campeão nacional de futebol”, em 2001.

“Tratou-se de um esforço de memória” voltar a êxitos de uma banda que foi extinta em meados dos anos 90 do século passado, “mas também não foi assim tão difícil”, referiu ainda a música e cantora, que também fez parte do projeto Três Tristes Tigres.

Ana Deus adiantou que estar envolvida em “outro regresso”, precisamente o dos Três Tristes Tigres. “Estamos a acabar de gravar um disco que vai ser lançado no primeiro trimestre do próximo” e que ainda não tem nome, mas já tem um single, “chamado Galanteio”.

“Foi com muita surpresa, muita satisfação e orgulho que recebi o convite para tocar na apresentação do livro ‘Musonautas, Visões & Avarias: 1960-2010 – 5 Décadas de Inquietação Musical'”, salientou Rui Fernandes.

O músico afirmou mesmo que “sempre” teve vontade de voltar a tocar com os outros ex-Ban, e que “foi extremamente rápido” acertar com as sonoridades e os ritmos dos velhos êxitos da banda. “Era só começar os primeiros acordes e depois aquilo saiu tudo. Estava bastante presente, apesar de já terem passado bastantes anos”, acrescentou.

“Sentei-me ao piano e as mãos foram sozinhas. Acho que é como voltar a andar de bicicleta”, comparou Rui Fernandes, multi-instrumentista e produtor musical.

Os cinco temas selecionados são os álbuns “Surrealizar”, “Música Concreta” e “Mundo de Aventuras”, “e naturalmente concluem alguns mais conhecidos”, avançou ainda João Loureiro, advertindo ainda que “será um momento único, para este evento específico”.

“Musonautas, Visões & Avarias: 1960-2010 – 5 Décadas de Inquietação Musical” é descrito pelos autores, Paulo Vinhas e Guilherme Blanc, como sendo um “livro-maratona sobre o património inquieto da música do Porto, composto ao longo de 50 anos”.

“Os excessos, as ruturas, as noitadas, as piratarias, os lugares, obviamente os sons e as pessoas que tornaram tudo isto que aconteceu por aqui singular no contexto nacional: está tudo lá, com 14 ensaios originais e um álbum com raridades”, explicam.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta