Faixa Atual

Título

Artista

Background

Pedro Coquenão revisita recolhas de Hugh Tracey

Escrito por em 04/12/2019

O músico e produtor luso-angolano Pedro Coquenão (Batida) vai revisitar, a convite da editora britânica Beating Heart, o arquivo de recolhas musicais feitas em África, entre as décadas de 1920 e 1970, pelo etnomusicólogo britânico Hugh Tracey.

De acordo com o agenciamento do artista, num comunicado hoje divulgado, Pedro Coquenão, “que tem criado e desenvolvido trabalho com música, dança, rádio, artes visuais e plásticas sob o nome Batida, foi convidado pela Beating Heart a revisitar a maior coleção de gravações de campo do mundo, feitas no continente Africano por Hugh Tracey entre as décadas de 1920 e 1970, nomeadamente a parte Angolana do arquivo”.

A editora britânica, como é recordado no comunicado hoje divulgado, “tem vindo a trabalhar com a Biblioteca Internacional de Música Africana, sediada em Grahamstown, África do Sul, com o objetivo de manter vivas essas memórias e apresentá-las à próxima geração”.

Depois de artistas como Goldie, Rudimental ou Auntie Flo, será a vez de Batida se dedicar a este arquivo sonoro, “focando-se nas gravações feitas em Angola”. Pedro Coquenão batizou este capítulo da sua carreira, “que terá continuação já em fevereiro de 2020”, de Ikoqwe.

Na edição deste ano do Festival Músicas do Mundo, que decorreu em julho em Porto Covo e em Sines, Batida apresentou o projeto Ikoqwe, que juntou Pedro Coquenão e o ativista luso-angolano Luaty Beirão (Ikonoklasta).


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta