Faixa Atual

Título

Artista

Background

“Via San Cipriano” e “Black Mamba” vencem Olhares do Mediterrâneo

Escrito por em 06/11/2019

“Via San Cipriano”, de Lea Schlude, e “Black Mamba” (na foto), de Amel Guellaty, são os vencedores, respectivamente, do Prémio da Competição Geral de Longas Metragens e do Prémio da Competição Geral de Curtas Metragens da sexta edição do Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival.

Na sua declaração de voto, o júri destacou a “elegância” com que Via San Cipriano trata o “percurso de três irmãs e um irmão, a dignidade com que olha para o envelhecimento”, realçando forma como a obra de Lea Schlude “trabalha a memória sem nostalgia e sem tornar o passado mais importante que o presente”.

Quanto a “Black Mamba”, galardoado com o Prémio de Melhor Curta-Metragem do Olhares do Mediterrâneo 2019, o júri do festival assinala que o filme é um “murro no estômago” com uma “cinematografia cuidada”, uma “pungente interpretação da protagonista e, sobretudo, [uma] história surpreendente feita de coragem e determinação”.

“Strange Fish”, de Giulia Bertoluzzi, é o vencedor na secção Travessias e, na secção Começar a Olhar, Filmes de Escola, o prémio do júri para o melhor filme é atribuído ao documentário “Family in Exile”, de Fatima Matousse.

Documentário que explora o modo como a tragédia dos migrantes afectou uma comunidade de pescadores no sul da Tunísia, “Strange Fish” é também a obra vencedora do Prémio do Público para Melhor Longa Metragem nesta edição do Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival.

O filme é apresentado a 7 de novembro na Casa da Achada – Centro Mário Dionísio, às 18h30, seguindo-se uma conversa com a realizadora, Giulia Bertoluzzi, após a sua exibição.

Já o Prémio do Público para a Melhor Curta Metragem foi atribuído a “Nudar”, de Rand Beiruty, documentário que se passa num campo de refugiados na Alemanha, e no qual a realizadora dá uma câmara a uma “refugiada”, “Nudar”, criando-se um diálogo entre as duas mulheres, que discutem as suas ambições e os desafios da adaptação a uma sociedade nova e desconhecida.

A edição de 2019 do Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival, que decorreu no Cinema São Jorge, em Lisboa, entre 30 de outubro e 3 de novembro, atribuiu também seis menções honrosas.

“Puta Mina”, do Colectivo Puta Mina, recebeu a Menção Honrosa na Competição Geral de Longas Metragens, enquanto a Menção Honrosa na Competição Geral de Curtas Metragens foi atribuída a “Non è Amore Questo”, de Teresa Sala.

Na secção Travessias foram atribuídas duas menções honrosas, aos filmes “Shadow”, de Zeinah Alqahwaji e “Paradise Without People”, de Francesca Trianni. “Shadow” foi também galardoado com uma menção honrosa na secção Começar a Olhar, Filmes de Escola, bem como o filme “Ella, Muerta de Frío. Yo, Calada Hasta los Huesos”, de Elena Tara.

Os prémios desta sexta edição do Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival foram criados pela turma de Cerâmica da Escola Secundária António Arroio, em Lisboa.

O Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival promove a exibição de filmes feitos por mulheres oriundas do Mediterrâneo, ou que trabalhem em países mediterrânicos. O festival pretende divulgar o papel da mulher na criação cinematográfica, dando visibilidade aos seus filmes e promovendo o intercâmbio com profissionais do cinema em Portugal. No Olhares do Mediterrâneo – Women’s Film Festival, olhamos do Mediterrâneo para o mundo, através das lentes criativas das mulheres.

O festival é um projecto do grupo Olhares do Mediterrâneo e do CRIA (Centro em Rede de Investigação em Antropologia).

PALMARÉS OLHARES DO MEDITERRÂNEO 2019

COMPETIÇÃO GERAL

MELHOR LONGA
“Via San Cipriano”
de Lea Schlude (Itália)
Itália, Alemanha | doc | 2019 | 67’

MENÇÃO ESPECIAL
“Puta Mina”
do Colectivo Puta Mina
Espanha | doc | 2018 | 59’

MELHOR CURTA
“Black Mamba”
de Amel Guellaty
Tunísia | fic | 2017 | 20’

MENÇÃO ESPECIAL
“Non è Amore Questo”
de Teresa Sala
Itália | doc-fic | 2018 | 33’

TRAVESSIAS

MELHOR FILME
“Strange Fish”
de Giulia Bertoluzzi
Itália | doc | 2018 | 55’

MENÇÃO ESPECIAL
“Paradise Without People”
de Francesca Trianni
Grécia, Estónia, Alemanha | doc | 2018 | 80’

MENÇÃO ESPECIAL
“Shadow”
de Zeina Qahwaji (Síria)
Bélgica | doc | 2017 | 20’

COMEÇAR A OLHAR

MELHOR FILME
“Family in Exile”
de Fatima Matousse (Marrocos)
EUA | doc | 2018 | 15’

MENÇÃO ESPECIAL
“Ella, Muerta de Frío. Yo, Callada Hasta los Huesos”
de Elena Tara
Espanha | fic | 2019 | 13’

MENÇÃO ESPECIAL
“Shadow”
de Zeina Qahwaji (Síria)
Bélgica | doc | 2017 | 20’

PRÉMIOS DO PÚBLICO

MELHOR LONGA
“Strange Fish”
de Giulia Bertoluzzi
Itália | doc | 2018 | 55’

MELHOR CURTA
“Nudar”
de Rand Beiruty (Jordânia)
Alemanha | doc | 2018 | 20’


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta