Faixa Atual

Título

Artista

Background

“Could Be Worse: The Musical” estreia no Teatro São João

Escrito por em 05/11/2019

O musical “Could Be Worse: The Musical”, do coletivo Cão Solteiro e do cineasta André Godinho, estreia na quinta-feira, no Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, e assinala a primeira vez desta estrutura neste palco.

A partir de quinta-feira e até domingo, “Could Be Worse: The Musical”, que resulta de uma coprodução entre o São Luiz Teatro Municipal (onde sobe à cena em fevereiro e março de 2020) e o TNSJ, vai dar vida a um conjunto de artistas anónimos que, semanalmente, se reúnem para procurar ajuda daqueles que, tal como eles, decidiram fazer da arte uma profissão e que buscam, numa tentativa vã, deixar de ser quem são.

Sentados num círculo desajeitado de cadeira – naquele que é o espaço onde todos pretendem sentir-se seguros – os artistas procuram escapar da sua “intoxicação” e encontrar a cura para o que nunca se vai poder curar.

À margem de um ensaio aberto aos jornalistas, o cocriador e ator André Godinho explicou que estes artistas estão a tentar deixar de ser artistas, ou seja, estão a tentar deixar a coisa que decidiram ser porque isso lhes levantou problemas em determinado momento da sua vida.

Ao longo da peça, que parte de um texto assinado por José Maria Vieira Mendes, os artistas vão decidir se continuam nestas reuniões ou se não faz sentido deixarem de ser a pessoa que decidiram ser.

Revelando que este musical não é “completamente feliz”, sendo até um “bocadinho deprimente”, André Godinho confessou, contudo, que “podia ser pior”.

O cocriador lembrou que, por norma, as reuniões de anónimos são locais onde as pessoas partilham problemas, inseguranças e dependências sendo, desde logo, um sítio difícil, daí não ser um espetáculo “completamente feliz”.

Em cena, a personagem André toma a iniciativa e diz, no primeiro ato: “Olá a todos. Eu sou o André e sou artista”, a quem todos em coro respondem “Olá André”.

André, que assume a liderança das reuniões, acrescenta que “não pratica há sete anos” e, depois de se ouvirem palmas, realça que este é um “espaço de segurança, um lugar seguro” onde podem partilhar as suas inseguranças e medos, mas também as suas conquistas.

“Mas este lugar é sobretudo um lugar onde partilhamos a vida. A vida é o bem mais precioso que temos. A vida acima de tudo”, sublinha.

A criadora e atriz Paula Sá Nogueira assumiu que “ali” não há nada de positivo, mas tal como André Godinho ressalvou que “podia ser pior”.

“Ali expõe-se o problema de que, quando por circunstâncias exteriores ao individuo, ele é levado a desistir daquilo que faz por não ter condições para poder continuar a ser quem é”, disse.

Paula Sá Nogueira acrescentou que o espetáculo não tem como objetivo transmitir mensagens, mas sim reflexões sobre as dificuldades e preocupações quotidianas.

“Could Be Worse: The Musical” é a mais recente colaboração do coletivo Cão Solteiro com André Godinho, depois de “Play, the Filme” (2011), “Day for Night” (2014) e “We´re Gonna Be Alright” (2017).

Ilustração do artigo por Mariana Sá Nogueira a partir de uma fotografia de Elliot Erwitt.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta