Exposição de Keith Haring em Cascais

Escrito por em 27/08/2019

O trabalho do artista norte-americano Keith Haring, que morreu em 1990, vai estar em destaque em Cascais, com uma exposição, num centro comercial, e a transformação da estação de comboios da cidade numa galeria de arte.

A exposição “Keith Haring. Entre a arte, o ativismo e a moda”, que estará patente entre 10 de setembro e 10 de novembro, no CascaiShopping, reúne “17 obras originais de uma das mais emblemáticas figuras do cenário artístico de Nova Iorque nos anos 1980”. De acordo com a organização, nesta mostra “a ideia é transportar o visitante para Nova Iorque em plena década de 1980, sob o olhar ímpar do artista e ativista”. “Na exposição é possível apreciar algumas das suas obras mais icónicas, que nos fazem viajar pela imaginação de Haring, num diálogo aberto entre a arte, o ativismo e a moda”, lê-se no comunicado divulgado pela organização.

Além das 17 obras originais de Keith Haring, a mostra inclui criações de ‘designers’ de moda inspiradas no trabalho do artista, que levou a arte para as ruas, como a réplica de um casaco usado pela cantora Madonna numa festa em 1984. Na inauguração da mostra, que é de entrada gratuita, será recriada a performance que Keith Haring realizou com a cantora Grace Jones em Nova Iorque em 1987, com uma sessão de ‘body painting’ ao vivo com a modelo Sharam Diniz.

A par com a exposição, e tal como Keith Haring fez na década de 1980, o trabalho do artista “sai para a rua e vai ter com as pessoas, ou melhor, vai andar de comboio entre Cascais e Lisboa e vai transformar a estação de Cascais numa galeria de arte”. A organização convidou o artista português AkaCorleone para “metamorfosear o exterior e interior de uma carruagem de comboio com padrões inspirados na arte de Haring, mas com um design original”.

No dia 3 de setembro, AkaCorleone irá pintar ao vivo, no CascaiShopping, uma réplica de uma carruagem de comboios. Além disso, a estação de Cascais “será decorada com imagens alusivas à obra de Keith Haring”. Keith Haring, que morreu aos 31 anos, foi um artista e ativista, contemporâneo de Jean-Michel Basquiat e Kenny Scharf, cujo trabalho se desenvolveu fora de galerias e museus, nas ruas, no metro e em espaços alternativos.

O seu trabalho caracteriza-se por linhas fortes que formam bonecos e cães. Em 1986, abriu uma loja em Nova Iorque, que considerava uma extensão do seu trabalho, onde vendia t-shirts, ‘posters’ e imanes com as imagens que criava. Com a loja, lê-se no ‘site’ oficial do artista, Keith Haring queria tornar a sua arte acessível a mais pessoas. Entre 1982 e 1989 criou mais de 50 obras de arte pública, muitas das quais com mensagens de cariz social e criadas para hospitais ou orfanatos, em vários locais do mundo.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta


[Nenhuma estação de rádio na Base de dados]